(528) – DOIS MINISTÉRIOS – II

DOIS   MINISTÉRIOS   2

Paulo declara que nas Escrituras existem dois ministérios; o do Velho Testamento e o do Novo Testamento: “E, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fitar os olhos na face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual era transitória, como não será de maior glória o ministério do Espírito?” (II Co.3:7-8). É claro que Paulo se refere ao ministério da lei, ministrado por Moisés, e o ministério do Espírito, ministrado por Jesus Cristo. Comparemos os dois ministérios:

1)     No de Moisés, o amor com que eu amo a mim mesmo é a medida usada para amar o próximo, isto é, se eu amo o deleite carnal, então vou ensinar minha namorada os prazeres da carne. Se eu gosto de fumar, vou atrair para o vício meus amigos, etc. Se eu sou fanático por Rock, vou ensinar a minha filha a rebolar. Se eu sou prostituído, quero que todos sejam como eu. Em 1960, assinei o jornal norte americano ‘Los Angeles Times’. Junto veio um caderno com diversas reportagens. Uma delas se referia à virgindade das estudantes. Uma jovem declarou que tinha vergonha de ser virgem, pois não era bonita e desejada, e todas as colegas já não eram virgens (Lv.21:14).

  • No ministério de Jesus Cristo, ele deu um novo mandamento: “Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como EU vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis” (Jo.13:34 – grifo nosso).

A medida do amor no Velho Testamento era uma medida humana e carnal, dos homens maculados pelo pecado, e destituídos da glória de Deus (Rm.3:23). A medida do amor que devemos ter para com o próximo, é a medida com que Cristo nos ama, isto é, o amor que não faz o mal, e dá a vida pelos pecadores perdidos (I Jo.3:16).

2)     Os filhos de Israel, do ministério de Moisés do Velho Testamento, amavam o próximo e aborreciam os inimigos. Jesus mesmo declarou isso: “Ouviste o que foi dito: Amarás o teu próximo, e aborrecerás o teu inimigo” (Mt.5:43). Davi, que tinha um coração conforme o coração de Jeová, disse:“Não aborreço eu, ó Jeová, aqueles que te aborrecem, e não me aflijo por causa dos que se levantam contra ti? Aborreço-os com ódio completo; tenho-os por inimigos” (Sl.139:21-22). E Davi tinha um coração conforme o de Jeová (I Sm.13:14; At.13:22).

  • Jesus dá um novo mandamento. O texto diz: “Ouviste o que foi dito: Amarás o próximo como a ti mesmo, e aborrecerás o teu inimigo. EU, PORÉM, VOS DIGO: Amai a vossos inimigos, bendizei aos que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus” (Mt.5:43-45). O ministério do Novo Testamento é o do amor somente. E o no ministério do Velho Testamento o amor e o ódio andam juntos.

3)   Os de Jeová pagam o dízimo, espécie de imposto para usar a terra. Quem não paga é chamado de ladrão por Jeová, que declarou: “Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas. Com maldição sois amaldiçoados, porque roubais a mim, vós, toda a nação. Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Jeová dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança. E por causa de vós repreenderei o devorador, para que não consuma o fruto da terra” (Ml.3:8-11).

  • Os de Jesus, isto é, os do ministério do Novo Testamento, dão tudo. Na primeira Igreja que surgiu, era da seguinte forma: “Era um o coração e a alma da multidão, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns. E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça. Não havia pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que haviam vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos. E repartia-se a cada um, conforme a necessidade que cada um tinha” (At.4:32-35).

Porque todos vendiam suas propriedades e casas, e os apóstolos dividiam o preço entre todos em igual medida? Porque os verdadeiros cristãos não são mais deste mundo. Se retém as coisas deste mundo, é porque querem ficar neste mundo. Abraão ouviu o evangelho de Cristo, e creu (Gl.3:7-9). E Jeová deu a terra de Canaã a Abraão e à sua descendência para sempre (Gn.17:8). Abraão, firme na promessa de Cristo, não aceitou a terra de Canaã, vivendo lá cem anos e morando em cabanas com Isaque e Jacó, porque tinha lugar melhor para morar eternamente (Hb.11:8-10; Gn.25:7). Abraão viveu como peregrino e forasteiro em Canaã (Hb.11:11-16).

E Jesus deixou claro que os que se apegam a este mundo não podem ser seus discípulos (Lc.14:33).

Está, portanto, evidente que o ministério de Jeová trata dos filhos deste mundo, e tem herança neste muno. O ministério de Cristo trata dos que habitam pela fé nos lugares celestiais, e são, portanto, peregrinos e forasteiros neste mundo.

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta