(398) – TUDO O QUE JEOVÁ QUIS, ELE FEZ

TUDO O QUE JEOVÁ QUIS, ELE FEZ

Deus, no Velho Testamento, tem muitos nomes: El Elion, que se traduz por Deus Altíssimo, isto é, ninguém está acima dele. Adonay, que quer dizer Senhor dos senhores. Jeová, nome que não tem tradução e só pode ser conhecido pelas obras que fez. Ele declarou: “Eis que lhes farei conhecer, desta vez lhes farei conhecer a minha mão e o meu poder; e saberão que o meu nome é Jeová” (Jr. 16:21). O quarto nome é El Shaday, cuja tradução é Deus Todo poderoso, isto é, Deus que pode todas as coisas.

Jeová faz o bem e também faz o mal (Lm. 3:38). É por isso que a árvore do conhecimento do bem e do mal é a árvore de Jeová (Gn. 2:9). Jeová não admite que alguém se iguale a ele. Eva tentada pela serpente comeu do fruto proibido da árvore de Jeová (ETZ DAAT). E por isso morreu, e toda a sua descendência. Jeová disse: “Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal; ora, pois, para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente; Jeová, pois, o lançou fora do jardim do Éden” (Gn. 3:22-23). Como El Shaday, Jeová declara: “Vede agora que eu, eu o sou, e mais nenhum deus comigo; eu mato e eu faço viver, eu firo e eu saro; e ninguém há que escape da minha mão” (Dt. 32:39). Ana, no seu cântico disse: “Jeová é o Deus da sabedoria, e por ele são as obras pesadas na balança. O arco dos fortes foi quebrado, e os que tropeçavam foram cingidos de força. Os fartos se alugaram por pão, e cessaram os famintos; até a estéril teve sete filhos, e a que tinha muitos filhos enfraqueceu. Jeová é o que tira a vida e a dá; faz descer à sepultura e faz tornar a subir dela. Jeová empobrece e enriquece; abaixa e também exalta. Levanta o pobre do pó, e desde o esterco exalta o necessitado, para o fazer assentar entre os príncipes, para o fazer herdar o trono de glória; porque de Jeová são os alicerces da terra, e assentou sobre eles o mundo”  (I Sm. 2:3-8). Jeremias registra a voz de Jeová dizendo: “Assim diz Jeová: Eis que o que edifiquei eu derrubo, e o que plantei eu arranco, e isso em toda a terra” (Jr. 45:4). E diz mais o Todo poderoso El Shaday: “Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? diz Jeová. Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel” (Jr. 18:6).Jeová manda fogo destruidor do céu (II Rs. 1:9-12). Jeová retém a chuva (Am. 4:7). Jeová abençoa e amaldiçoa (Pv. 3:33). Jeová assola os pecadores até os destruir (Is. 13:9). Jeová muda o coração dos homens para mal (Sl. 105:23-25). Jeová é quem coloca os reis e os destitui (Dn. 4:17). Quando irado e cheio de furor, Jeová amaldiçoa as bênçãos que prodigalizou (Ml. 2:1-3). Também anula uma promessa feita com juramento e troca por um novo juramento com maldição (Dt. 1:34-35). Finalmente Jeová é também El Shaday, o Todo poderoso. Se não pudesse trocar uma benção dada com juramento por um posterior juramento carregado de maldições, não seria o Todo poderoso.

Por isso no Salmo 135:6, lemos: “Tudo o que Jeová quis, ele o fez”: Ao fazer promessas a Abraão, o concerto para ser pai de uma multidão de nações e de reis; a promessa da posse de Canaã por eterna possessão; o pacto da circuncisão e a promessa de Sara ter um filho. Apareceu a Abraão aos noventa e nove anos de idade, e como garantia lhe disse: Eu sou El Shaday (Gn. 17:1-14). Pela boca de Isaías, disse: “Ainda antes que houvesse dia, eu sou; e ninguém há que possa fazer escapar das minhas mãos; operando eu, quem impedirá?” (Is.43:13). Vejamos seu poder:

1. Para castigar a rebeldia de Israel, com seu poder invisível, trouxe Salmanazar, rei da Assíria, para destruir Israel (II Rs. 18:9-12; 17:20-21; Is. 8:7).

2. Cento e trinta anos mais tarde, trouxe Nabucodonosor, rei de Babilônia, para destruir a cidade de Jerusalém a fogo, e destruir o templo da sua glória (Jr. 27:5-8). São palavras de Jeová, estas: “Também a Judá hei de tirar de diante da minha face, como tirei a Israel, e rejeitarei esta cidade de Israel que elegi, como também a casa de que disse: Estará ali o meu nome” (II Rs. 23:27).

3. Jeová, o oleiro, muda os sentimentos do coração dos homens. Antes de Moisés voltar ao Egito, avisou-o que ia endurecer o coração de Faraó (Ex. 4:21). E o fez muitas vezes (Ex. 7:3; 8:19; 10:1, 20, 27; 14:4, etc.). No tempo de José, Jeová mudou o coração de outro Faraó para fazer o mal (Sl. 105:23-25).

4. Jeová fabrica os mudos, os surdos e os cegos (Ex. 4:11). Fabrica os ímpios para o dia mal (Pv. 16:4). E Jeová orgulhosamente proclama: “Eu formo a luz, e crio as trevas; eu faço a paz, e crio o mal; eu, Jeová, faço todas essas coisas” (Is. 45:7).

A BÍBLIA, ENTRETANTO, REGISTRA COISAS QUE JEOVÁ QUERIA E NÃO CONSEGUIU FAZER. Vejamos:

1. Jeová não queria que Adão e Eva pecassem (Gn. 2:16-17). O profeta Malaquias prova isso: “E não fez ele somente um, sobejando-lhe espírito? e por que somente um? Ele buscava uma semente de piedosos” (Ml. 2:15).

2. Jeová queria que o seu povo Israel fosse santo (Lv. 19:2; 20:26). Jeová disse: “Eu sou Jeová, que vos santifica” (Ex. 31:13). No tempo de Davi, olhou Jeová desde o céu para ver se havia algum santo, mas todos eram imundos (Sl. 14:1-3). Jeová não conseguiu!

3. Criou Israel para sua glória (Is. 43:7; Jr. 13:11). Mas, para onde foi, o povo de Israel profanou o nome de Jeová (Ez. 36:20-23). Jeová declara que vai restaurar seu povo no futuro, e eles viverão para suaglória (Ez. 11:16-20; 36:24-28). Salomão diz: “Aquilo que é torto não se pode endireitar; aquilo que falta não pode ser calculado” (Ec. 1:15). “O que é, já foi; e o que há de ser também já foi” (Ec. 3:15).

4. A vinha de Jeová é a casa de Israel. E Jeová confessa que esperava colher uvas boas, mas colheu uvas bravas (Is. 5:4; Jr. 2:21).

5. Jeová queria que Israel fosse uma benção entre as nações, mas foi uma maldição (Zc. 8:13). Mas Salomão diz o contrário (Ec. 1:15; 3:15).

6. Jeová queria que os seus ungidos fossem retos e santos mas não foram (Jr. 23:9-14). Como castigo Jeová amaldiçoou as bênçãos conferidas e corrompeu a semente (Ml. 2:1-3).

7. Jeová achou um homem cujo coração era igual ao seu: Davi (At. 13:22). Mas Davi foi adúltero e assassino (II Sm. 11:1-17). Jeová mesmo acusa os pecados de Davi em II Sm. 12:7-14.

Está provado que tudo o que Jeová quis, não pôde fazer; mas tudo o que Satanás quis, ele fez.

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta