(551) – DOIS MINISTÉRIOS – XVIII

DOIS  MINISTÉRIOS  18

  1. Velho Testamento era o ministério da vantagem e do proveito próprio. Um exemplo claro são os levitas. Os levitas são os descendentes de Levi, um dos doze filhos de Jacó, que Jeová separou para servir no templo. Era o sacerdócio santo de Jeová. Os dízimos, isto é, a décima parte de tudo o que um israelita plantava, ou de seu gado bovino, ovelha, jumentos, etc., a décima parte era dos levitas. O dízimo foi dado como herança aos levitas (Nm.18:24).

O favor e a bênção de Jeová se traduziam em fartura, saúde física, riquezas em abundância; os levitas viviam como reis, sendo sacerdotes.

Outro exemplo foi Jó. Como vivia Jó? “Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; e este era homem sincero, reto e temente a Deus, e desviava-se do mal. E nasceram-lhe sete filhos e três filhas. E era o seu gado sete mil ovelhas, e etrês mil camelos, quinhentas juntas de bois e quinhentas jumentas; era também muitíssima gente ao seu serviço, de maneira que este homem era o maior do que todos os do Oriente” (Jó 1:1-4). E qual o motivo de tanto sucesso na vida? Como seus filhos celebravam muitos banquetes, Jó os santificava, e se levantava de madrugada, e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles; porque dizia Jó: “Porventura pecaram os meus filhos, e blasfemaram de Deus no seu coração. E assim fazia Jó continuamente” (Jó 1:4-5). Está ai a solução do mistério. Jó era fiel a Jeová, e por isso era tão abençoado.

Elifaz, um dos três amigos de Jó, sabia o segredo do sucesso, e vendo Jó na miséria total, e com aquela enfermidade maligna, lhe disse: “Aceita, pois, a lei da sua boca, e põe as suas palavras no teu coração. Se te converteres ao Todo-poderoso, serás edificado: afasta a iniquidade da tua tenda. Então amontoaras ouro como pó, e o ouro de Ofir como pedras do ribeiro. E até o Todo-poderoso te será por ouro, e por prata amontoada. Então te deleitarás no Todo-poderoso, e levantarás o teu rosto para Deus. Tu orarás a ele, e ele te ouvirá; e pagarás os teus votos” (Jó 22:22-27).

           2.       No Novo Testamento é o contrário; no ministério do sacrifício não tiramos proveito material ou vantagem da fé. Temos um exemplo magnífico: “Tiago e João, filhos de Zebedeu, eram íntimos de Jesus, e lhe fizeram um pedido, dizendo: Mestre, concede-nos que na tua glória nos assentemos, um à tua direita, e o outro à tua esquerda. Jesus os chamou e disse-lhes: Qualquer que entre vós quiser ser grande, seja vosso serviçal; e qualquer que entre vós quiser ser o primeiro será servo de todos; porque o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos” (Mc.10:35-45).

Jesus deu ordens expressas aos que queriam segui-lo, dizendo: “Quem não toma a sua cruz, e não segue após mim, não é digno de mim” (Mt.10:38). Qualquer que quiser seguir a Jesus tem de segui-lo com a cruz nas costas. Mais tarde Jesus volta ao assunto, dizendo: “Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me (Mt.16:24). No primeiro caso, a cruz eram as gozações, o desprezo, perder as amizades mundanas, resistir às tentações, os vícios. Muitos filhos do diabo fazem de tudo para derrubar um cristão e depois dizem: ‘Ele dizia que era cristão, mas eu pude provar que não era. Só aparência!’

A segunda vez que Jesus falou na nossa cruz, falou da renúncia de si mesmo: Temos de renunciar nossos desejos, nossa vaidade, nosso orgulho, nossas opiniões, nossos projetos, nossa implicância, nosso status, nossa posição social, nossos julgamentos, nossa arrogância, nossos preconceitos, nossa ira, nosso furor, nossos planos de vingança, nossos maus pensamentos, etc, etc. Todas estas coisas têm de ir para cruz se quisermos seguir a Cristo. Paulo diz: “Rogo-vos pois irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional, e não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Rm.12:1-2). Se optarmos pelas vantagens e prêmios deste mundo, Satanás pode nos tirar tudo, como fez com Jó. Mas se seguir o caminho com a cruz nas costas, o Satã está derrotado, porque o nosso reino não é deste mundo, e Satanás é deste mundo (I Jo.5:19).

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta