(522) – O MAU CAMINHO

O    MAU    CAMINHO

Que é mau caminho? É o caminho do vício e do pecado. Ao contrário, o bom caminho é o caminho da virtude e da justiça. Quando um jovem se torna ladrão, assaltante e drogado, dizemos: Ele anda pelo mau caminho. Quando um jovem se prostitui, dizemos: Fulano entrou pelo mau caminho e se perdeu.

Jeová estabeleceu um bom caminho para os homens: Os dez mandamentos. Diz o salmista: “A tua justiça é uma justiça eterna, e a tua lei é a verdade” (Sl.119:142). Outro texto: “Bem-aventurados os que trilham caminhos retos, e andam na lei do Jeová” (Sl.119:1). No Novo Testamento, Paulo declara: “E assim a lei é santa, e o mandamento é santo, justo e bom” (Rm.7:12).

Analisemos:

  • Mas o mesmo Paulo revela que a lei de Jeová é caminho para a escravidão, e o caminho para a escravidão é mau caminho. Paulo diz: “Dizei-me, os quereis estar debaixo da lei, não ouvis vós a lei? Porque está escrito que Abraão teve dois filhos, um da escrava e outro da livre. Todavia o que era da escrava nasceu segundo a carne, mas o que era da livre por promessa. O que se entende por alegoria; porque estes são os dois concertos; um, do monte Sinai, gerando filhos para a servidão, que é Agar. Ora, esta Agar é Sinai, um monte da Arábia que agora existe, que corresponde à Jerusalém, pois é escrava com seus filhos” (Gl.4:21-25). A lei de Jeová só produz escravos, logo é caminho mau. Jesus liberta da lei, logo é bom caminho: “Mas agora estamos livres da lei, pois morremos para aquilo em que estávamos retidos” (Rm.7:6).
  • A lei separa o homem de Deus Pai, enquanto aproxima de Jeová: “Por isso nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado” (Rm.3:20). Ora, se a lei faz que o homem conheça o pecado, é mau caminho, que aproxima de Jeová e separa do Pai.
  • “Porque, quando estávamos na carne, as paixões dos pecados, que são pela lei, obravam em nossos membros para darem fruto para a morte” (Rm.7:5). Paulo está ensinando que as proibições da lei produzem paixões pecaminosas que dão fruto para a morte. Se um pai põe sobre uma mesinha um objeto qualquer e proíbe o filhinho de três ou quatro anos de mexer, ele vai ficar louco para pegar. Nessa área, a lei é caminho mau, pois produz a concupiscência (Rm.7:7-8).
  • A lei de Jeová não leva o homem até a humildade, mas o conduz à soberba. Dois homens subiram ao templo para orar. Um era fariseu e o outro era publicano. O fariseu, observador da lei, orou assim: “Ó Deus, graças te dou, pois não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros, nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana e dou os dízimos de tudo o que possuo. O publicano nem ousava levantar ao céu os olhos, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!” (Lc.18:9-14). E o fariseu não foi ouvido, nem justificado.
  • A lei de Jeová ensina a vingança, dizendo: “Olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé, queimadura por queimadura, ferida por ferida, golpe por golpe” (Ex.21:24-25). Jeová disse a Moisés: Afligireis os midianitas, e os ferireis, porque eles vos afligiram a vós outros(Nm.25:17-18). Uma lei que não ensina o perdão, mas ensina a vingança, é mau caminho. Jesus, o bom caminho, anulou essa lei de vingança (Mt.5:38-42). Assim Jesus eliminou o caminho do ódio, da vingança, e instituiu o caminho glorioso do perdão (Mt.6:14-15).
  • A lei de Jeová separa de Jesus Cristo e faz o cristão cair da graça. Leiamos o que Paulo escreveu:“Estai pois firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a meter-vos debaixo do jugo da servidão. Eis que eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará. E de novo protesto a todo homem que se deixa circuncidar, que está obrigado a guardar toda a lei. Separados estais de Cristo, vós, que vos justificais pela lei: da graça tendes caído” (Gl.5:1-4).

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta