(210) – TODOS SÃO IGUAIS AO PÓ

TODOS SÃO IGUAIS AO PÓ

     Jeová odiava Esaú e amava Jacó. “Eu vos amei, diz Jeová. Mas vós dizeis: Em que nos amaste? Não foi Esaú irmão de Jacó? Disse Jeová; todavia amei Jacó, e aborreci a Esaú; e fiz dos seus palácios uma assolação, e dei a sua herança aos dragões do deserto. Ainda que Edon diga: Empobrecidos somos, porém tornaremos a edificar os lugares desertos; assim diz Jeová: Eles edificarão e eu destruirei; e lhes chamarão termo da impiedade, e povo contra quem Jeová está irado para sempre” (Ml. 1:1-4). Está correto isto? Jeová rejeitou Esaú no ventre da mãe (Gn. 25:21-23). A eleição de um pressupõe a rejeição de outro. Havia povos odiados e rejeitados por Jeová para sempre. Amaleque pelejou contra Israel e Jeová os odiou e rejeitou para sempre (Ex. 17:8, 16). Os amonitas e Moabitas alugaram o mago Balaão para amaldiçoar Israel, e Jeová passou a odiá- los por toda a eternidade (Dt. 23:3-4). A geração vindoura não é culpada pelas mas obras da geração presente. Justifica- se este ódio da parte de Jeová? Jeová elegeu a Israel para ser seu povo particular e querido. “És povo santo de Jeová teu deus, e Jeová te escolheu, de todos os povos que há sobre a face da terra, para lhe seres o seu povo próprio” (Dt. 14:2). Ao eleger Israel, elegeu também os egípcios, mas para odiar, aborrecer, destruir pelas pragas e matar no fundo do mar vermelho. E esta foi sua glória (Ex. 14:4, 30).

O difícil de entender, é que Jeová declara que todos os homens são iguais quanto a sua natureza, e quanto as suas obras. Vejamos:

Todos são pó, ou melhor, feitos do mesmo pó, logo são todos iguais quanto a sua natureza. “E formou Jeová Elohim o homem do pó da terra, e soprou em seus narizes o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente” (Gn. 2:7). Após comer da árvore da ciência do bem e do mal, a condenação foi: “No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes a terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó, e em pó te tornarás” (Gn. 3:19). Ora, se o prêmio do pecado é voltar ao pó, e ao voltar a ser pó, Jeová Elohim lhe disse: És pó e em pó te tornarás, estava revelando que quem é feito do pó não pode ser melhor do que o pó: Como Adão foi feito do pó, Jeová não tinha nenhuma intenção de que Adão fosse diferente, e Adão caiu porque era pó. Mas o que é o pó na linguagem de Jeová Elohim? Pó é a comida da serpente. “Disse Jeová a serpente: Porquanto fizeste isto, maldita serás mais que toda a besta, e mais que todos os animais do campo; sobre o teu ventre andarás, e pó comerás todos os dias da tua vida” (Gn. 3:14). Como serpente não como pó; pois sendo carnívora se alimenta de carne, o pó que ela come são os homens, pois Jeová os chama de pó. Quando Jeová Elohim fez Adão do pó da terra, estava preparando o banquete de diabo, pois a serpente é o diabo, ou Satanás. “E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente chamado o diabo, e satanás, que engana todo o mundo” (Ap. 12:9).     Que é pó na realidade? Pó é carne. Quando Jeová disse: És pó e em pó te tornarás, isto é, antes de morrer, estando na carne, Adão era pó, e depois de morta a carne, vira pó. Se antes da morte física o homem é pó, pó é carne, e carne é o alimento da serpente. O profeta Sofonias declara: “E angustiarei os homens, e eles andarão como cegos, porque pecaram contra Jeová; e o seu sangue se derramará como pó, e a sua carne como esterco” (Sf. 1:17). “E choveu sobre eles carne como pó, e aves de asas como a areia do mar” (Sl. 78:27).

A profecia de Jeová sobre Israel era ser pó. A promessa a Abraão: “Toda esta terra que vês, te hei de dar a ti, e a tua semente, para sempre, e farei a tua semente como o pó da terra, de maneira que se alguém puder contar o pó da terra, também a tua semente será contada” (Gn. 13:15-16). A Jacó, Jeová falou também: “E a tua semente será como o pó da terra, e estender- se-á ao ocidente, e ao oriente, e ao norte, e ao sul, e em ti, e em tua semente serão benditas todas as famílias da terra” (Gn. 28:14). Mas pó é a comida da serpente, isto é, do diabo. Israel foi criado para ser comida de serpente (Gn. 3:14).

Jeová  prometeu criar novos céus e nova terra. “Eis que eu crio céus novos e nova terra; e não haverá lembranças das coisas passadas, nem mais delas se  recordarão. Mas vós folgareis e exultareis perpetuamente no que eu crio; porque eis que crio para Jerusalém alegria e para o seu povo gozo. E folgarei em Jerusalém, e exultarei no meu povo; e nunca mais se ouvirá nela voz de choro nem  voz de clamor. Não haverá mais nela criança de poucos dias, nem velho que não cumpra seus dias; porque o mancebo morrerá de cem anos; mas o pecador de cem anos será amaldiçoado. E edificarão casas, e as habitarão; e plantarão vinhas, e comerão do seu fruto. Não edificarão para que outros as habitem; não plantarão para que outros comam; porque os dias de meu povo serão como os dias  da árvore, e os meus eleitos gozarão das obras das suas mãos até a velhice. Não trabalharão debalde, nem terão filhos para perturbação; porque são a semente dos benditos de Jeová, e os seus descendentes com eles. E será que antes que clamem, eu responderei; estando eles ainda falando, eu os ouvirei. O lobo e o cordeiro se apascentarão juntos, e o leão comerá palha  como o boi; E PÓ SERÁ A COMIDA DA SERPENTE” (Is. 65:17-25).

É muito estranho. Jeová vai criar um novo céu e uma nova terra tão imperfeitos como os primeiros? Lá  vai haver mancebos morrendo com cem anos; vai haver velhos cansados; vai haver pecadores amaldiçoados; vão edificar casas e plantar vinhas; vai haver velhos cansados; e como vai haver morte, haverá lautos jantares para o diabo, pois pó será a comida da serpente. E tudo isto será eterno, diz o verso dezoito. Isto tudo entra em contradição com o que Jesus e seus discípulos ensinaram. No novo céu que Jesus vai criar não haverá mais morte. “E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte , nem pranto, nem clamor, nem dor, porque já  as primeiras coisas são passadas” (Ap. 21:4). “E nunca mais haverá maldição contra alguém” (Ap. 22:3). Também não vão edificar casas, porque a Jerusalém Celestial já vem prontinha (Ap. 21:2). E como todos tem vida eterna, não haverá comida para a serpente, isto é, o pó. E não haverá serpente nem diabo pois será lançado no lago de fogo e enxofre onde estarão a besta e o falso profeta (Ap. 20:10). A morte e o inferno também serão lançados no lago de fogo (Ap. 20:14).

São, portanto, duas criações diferentes e dois projetos diferentes. No de Jeová o caos vai continuar, e o Diabo reinará com a morte.

Os cristãos só têm um probleminha , tem de deixar de ser pó, isto é carne.

Precisam descobrir que a carne e o sangue não herdam o reino de Deus, nem a corrupção herda a incorrupção. O lugar da carne não é no céu, mas na cruz. “E os que são de Cristo crucificaram a carne com suas paixões e concupiscências” (Gl. 5:24).

 

Autoria:  Pastor Olavo S. Pereira

Deixe uma resposta