(456) – MANIFESTAÇÃO DE CRISTO – V

MANIFESTAÇÃO DE CRISTO 5

Para que Cristo se manifestou em carne aos homens? Para ser famoso? Para revelar a sua glória? Para matar e destruir os pecadores? Para fazer guerra ao mal? Para acusar os pecadores? Para reinar com vara de ferro? Para julgar o mundo? Para obrigar os perversos a beber o cálice de esterco dos homens? Para lançar no inferno? Para obrigar a guardar a lei? Para impor servidão pesada? Para ser o dono do ouro e da prata? Para ser o Messias de Israel segundo a carne? Para restaurar o trono de Davi? Para fazer prodígios e sinais? Para se exibir fazendo milagres? Para medir forças com homens mortos espiritualmente e falidos moralmente? PARA QUE CRISTO SE MANIFESTOU?

  • Para ser famoso não foi, pois proibiu um leproso de divulgar que fora curado por ele (Mc. 1:44).Jesus ressuscitou uma menina, de nome Talita, filha de Jairo, chefe da sinagoga de Cafarnaum, mas ordenou-lhe que nada falasse, para que ninguém o soubesse (Mc. 5:41-43). Fama é para os ambiciosos, não para os humildes. Quem quer ser famoso, gosta de aparecer, elogia-se a si mesmo. Jeová, em contrário, adorava ser famoso. Isaías, o profeta, revela a vaidade desse deus:“E porei entre eles um sinal, e os que deles escaparem enviarei às nações, a Társis, Pul, e Lude, flecheiros, a Tubal e Javã, até as ilhas de mais longe, que não ouviram a minha fama, nem viram a minha glória; e anunciarão a minha glória entre as nações” (Is. 66:19). Jeová não salvou Israel do Egito porque os amava e queria que tivessem descanso e paz. Vejam o que diz o salmista: “Não obstante, ele os salvou por amor do seu nome, para fazer conhecido o seu poder” (Sl. 106:8).
  • Jesus não se manifestou para revelar sua glória, pois disse: “Eu não busco a minha glória; há quem a busque, e julgue” (Jo. 8:50). Jeová sim, buscava a sua própria glória: “A todos os que são chamados pelo meu nome, e os que criei para a minha glória; eu os formei, sim, eu os fiz” (Is. 43:7; Jr. 13:11).
  • Jesus não se manifestou para matar e destruir, como aconteceu com Jeová, quando Elias clamou por fogo do céu para consumir cinqüenta soldados e um capitão, e Jeová mandou fogo do céu e os consumiu. Vieram outros cinqüenta e outro capitão, então Elias clamou de novo, e desceu fogo de Jeová, e os consumiu a todos. Com Jesus foi o contrário. Subindo para Jerusalém, uma aldeia de samaritanos não o recebeu. Então Tiago e João disseram a Jesus: Queres que digamos que desça fogo do céu e os consuma como fez Elias? Jesus, porém, repreendeu-os dizendo: “Vós não sabeis de que espírito sois, porque o Filho do homem não veio para destruir as almas dos homens, mas para salvá-las” (II Rs. 1:9-12; Lc. 9:51-56).
  • Jesus não veio para fazer guerra ao mal, como Jeová, que destruiu toda a humanidade no dilúvio(Gn. 6:5-8): “Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido” (Lc. 19:10).
  • Jesus declarou, dizendo: “Não cuideis que eu vos hei de acusar para com o Pai. Há um que vos acusa, Moisés, em quem vós esperais” (Jo. 5:45). Moisés era o porta voz de Jeová, de maneira que quem acusava era Jeová, que deu a lei acusadora.
  • Jesus não se manifestou para reinar com vara de ferro, como está profetizado por Jeová em Sl. 2:7-9, pois declarou a Pilatos: “O meu Reino não é deste mundo” (Jo. 18:36). Jeová reinava com vara de ferro: “Vivo eu, diz Jeová, que com mão forte, e com braço estendido, e com indignação, hei de reinar sobre vós” (Ez. 20:33). Jesus, o bom pastor, apascenta suas ovelhas com amor (Jo. 10:11).
  • Também não se manifestou para julgar o mundo. Quem julga este mundo é Jeová, como diz Abraão(Gn. 18:23-25). “Alegrem-se e regozijem-se as nações, pois julgarás os povos com eqüidade, e governarás as nações sobre a terra” (Sl. 67:4). E Jesus declarou o seguinte: “E, se alguém ouvir as minhas palavras, e não crer, eu não o julgo; porque eu não vim para julgar o mundo, mas para salvar o mundo” (Jo. 12:47). E Paulo revela que quem vai julgar o mundo é a Igreja (I Co. 6:1-3).
  • Jesus não se manifestou para dar cálice de fezes para comer, nem água de fel para beber, como Jeová fazia com Israel (Sl. 75:8; Is. 51:17; Jr. 9:15-16). Jesus se manifestou para receber em seu corpo os nossos pecados, e perdoá-los, para salvar-nos, e fazer-nos filhos de Deus (I Pd. 2:24; Jo. 1:12-13).
  • Por acaso veio Jesus a este mundo para lançar no inferno os perdidos? Nunca! Jesus se manifestou para salvar os perdidos. Paulo diz: “Esta é uma palavra fiel, e digna de toda aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal” (I Tm. 1:15). Quem metia no inferno era Jeová. O profeta Ezequiel disse ao rei da Assíria: “Ao som da sua queda fiz tremer as nações, quando o fiz descer ao inferno com os que descem à cova” (Ez. 31:16).
  • Jesus se manifestou para ser o dono do ouro e da prata? Jamais! O ouro e a prata de Jesus são diferentes do ouro e da prata deste mundo. Ele disse: “Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça e nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam” (Mt. 6:19-20). E Jesus contou a parábola do rico insensato, que acumulou muitas riquezas: “Mas Deus lhe disse: Louco, hoje te pedirão a tua alma; e o que tens preparado para quem será? E Jesus acrescentou: Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus” (Lc. 12:16-21).

Quem é o dono do ouro e da prata deste mundo é Jeová (Ag. 2:8). Jó declara: O Todo poderoso é quem dá a prata e o ouro deste mundo (Jó 22:21-27). É Jeová quem faz os ricos e os pobres (Pv. 22:2). É Jeová que enriquece e empobrece (I Sm. 2:7).

A riqueza no reino de Deus é a obra de caridade (I Tm. 6:17-19).

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta