(353) – CORRUPTOR DE CRIANÇAS

CORRUPTOR DE CRIANÇAS

        Jeová declarou por boca de Oséias: “Quando Israel era menino, eu o amei, e do Egito chamei o meu filho” (Os.11:1). Alguns pontos chamam a atenção neste verso bíblico:

1- Por ocasião do Êxodo, no início, Jeová mandou Moisés dizer a Faraó: Israel é meu filho, meu primogênito” (Ex. 4:22). Para Jeová, um povo é um homem, ou uma mulher, ou um menino.

2- Jeová declara também que Israel, ao sair do Egito, era menino, e era amado.

3- Ao ser tirado do Egito, o povo de Israel estava saindo do ventre onde fora gerado, isto é, o Egito, um país corrompido e idólatra na época.

Quando Jesus nasceu, Herodes, rei da Judéia, tendo ouvido que o Messias, isto é, o rei de Israel nascera em Belém de Judá, mandou matar todas as crianças judias, de dois anos para baixo (Mt.2:16).Mas o anjo de Jeová apareceu em sonhos a José, e mandou que fugisse para o Egito. José e Maria, sua mulher, foram para o Egito até a morte de Herodes (Mt.2:19-20). Quando José voltou, cumpriu-se a profecia de Oséias, que disse“Do Egito chamei meu filho”Assim fica bem provado que Israel era menino, pois foi figura de Jesus, que era menino.

É óbvio que o povo de Israel era menino espiritualmente. Do ponto de vista físico e natural, de homens que arrancavam da espada para a guerra, foram contados seiscentos e três mil e quinhentos e cinqüenta varões (Nm.1:46)fora velhos, mulher e crianças.

Fazemos uma pergunta: Obriga-se uma criança a obedecer e guardar uma lei que é difícil de ser guardada por adultos? É justo punir uma criança com terríveis maldições quando transgride essa lei? Leiamos a resposta feita àquelas crianças:

“Eis que hoje eu ponho diante de vós a benção e a maldição: A benção, quando ouvirdes os mandamentos de Jeová vosso deus, que hoje vos mando; porém a maldição, se não ouvirdes os mandamentos de Jeová vosso deus, e vos desviardes do caminho que hoje vos ordeno, para seguirdes outros deuses que não conhecestes” (Dt.11:26-28).

D Passemos ao Novo Testamento, onde a idéia de adultos que são crianças, é um fato.

João, o apóstolo, declara, que para ser filho do Deus Pai, todo homem tem de nascer de novo. No Velho Testamento, os nascidos na carne, e da carne, eram chamados de filhos de Jeová (Dt.14:1; 32:18-20; Is.1:2; 30:9). Mas no Novo Testamento, os nascidos da carne não são filhos, mas somente os que crêem em Jesus Cristo, nascem de novo por um milagre do Espírito Santo e da água (Jo.3:5-6).A água é a palavra de Cristo (Ef.5:25-26).  

Pois este nascido de novo pelo evangelho, tendo vinte, ou trinta, ou sessenta anos, é considerado criança espiritual. Paulo diz: “E eu, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a meninos em Cristo. Com leite vos criei, e não com manjar, porque ainda não podíeis, nem tão pouco ainda agora podeis, porque ainda sois carnais. Pois, havendo entre vós inveja, contendas e dissensões, não sois porventura carnais, e não andais segundo os homens?” (I Co.3:1-3). O convertido a Cristo, só deixa de ser carnal quando deixa as contendas, dissensões e invejas.

D  Outro tipo de criança espiritual é o cristão preso aos rudimentos da doutrina. Na carta aos Hebreus lemos: “Porque, devendo já ser mestres pelo tempo, ainda necessitais de que se torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos das palavras de Deus; e vos havíeis feito tais que necessitais de leite, e não de sólido mantimento. Porque qualquer que ainda se alimenta de leite não está experimentado na palavra da justiça, porque ainda é menino” (Hb.5:12-13).

D  Há ainda, um outro tipo de menino. São aqueles que vão atrás de ventos de doutrina. Paulo novamente nos ensina, dizendo“Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, à varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo. Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente” (Ef.4:13-14). Já viram cristãos deslumbrados, que ao ouvir que um evangelista ou missionário faz milagres, corre para lá, como criança que vai ao circo? Outros se encantam com pregadores que fazem shows. Outros ainda vão atrás dos que prometem as riquezas deste mundo. Tudo vento, tudo vaidade. Como dizia Salomão, o sábio:“Vanitas vanitatis, vanitas vanitatis, et omnia vanitas” (Ec.1:2). A Bíblia fala muito dos meninos de quarenta anos, de cinquenta e até de sessenta, que andam disputando os dons do Espírito Santo, que são nove (I Co.12:8-11). Vi na placa de uma igreja o seguinte: “Pastor ‘Fulano’, o homem dos nove dons.” Paulo fala dos dons no capítulo doze de I Coríntios. No capítulo treze fala que acima dos dons está a caridade; e no fim, diz: “Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino” (I Co.13:11).

D  Voltemos à história de Israel. Quando Israel era menino? Quando saiu do Egito. Eram todos adultos na carne, mas recém nascidos no espírito. O ventre que gerou o primogênito de Jeová era carnal, corrupto e idólatra. Conheçamos alguns dos deuses do Egito no tempo de Moisés:

O BOI APPIS – A mais completa expressão da divindade sob a forma de um boi.

AMMON – Deus egípcio do Sol.

OSIRIS – Protetor dos mortos, marido de Isis.

ISIS – Irmã e mulher de Osiris, mãe de Horus, deusa da medicina, do casamento, do trigo, da cultura.

HÓRUS - Homem com cabeça de gavião. Aparecia como gavião ou como homem.

ANUBIS – Tinha corpo de homem e cabeça de chacal.

THOT - Corpo de homem e cabeça de pássaro com bico comprido e curvado para baixo.

PHTAH – Adorado na cidade de Menfis. (Jeová executou juízo sobre esses deuses (Ex. 12:12)).

Quanto ao comportamento moral, Ezequiel registrou o seguinte“Filho do homem, houve duas mulheres, filhas de uma mãe. Estas prostituíram-se no Egito, prostituíram-se na sua mocidade; ali foram apertados os seus peitos, e ali foram apalpados os seios da sua virgindade. E os seus nomes eram: Aolá, a mais velha, e Aolibá, sua irmã; e foram minhas, e tiveram filhos e filhas; e, quanto a seus nomes, Samaria é Aolá, e Jerusalém é Aolibá” (Ez.23:2-4). Como Jeová declarou que amou quando era menino, e Israel foi gerado no Egito, pois, como povo, não existia antes, esse povo foi corrompido quando ainda era criança.

As obras do Egito eram as mesmas de Sodoma, por isso João, no Apocalipse, diz: “E Jazerão os seus corpos mortos na praça da grande cidade que espiritualmente se chama Sodoma e Egito, onde o seu Senhor também foi crucificado” (Ap.11:8). E Jeová declarou que Israel era prevaricador desde o ventre (Is. 48:8). A corrupção desse povo foi planejada quatrocentos anos antes, pois Jeová falou a Abraão (Gn.15:13-14). Ora, Jeová se declara o oleiro, afirmando que Israel era o barro; cuja forma era dada a gosto do oleiro (Jr.18:1-6).

Se um pai humano corrompe seus filhos ainda crianças, é processado pelo governo como praticante de pedofilia, é execrado pela sociedade, e vai preso como anormal. Jeová, que proíbe o pecado, o adultério e prostituição sob pena de morte, corrompe meninos e crianças num projeto maligno, e todos o louvam e o glorificam? Ele mesmo declara que corrompe as crianças, pois disse aos sacerdotes: “Se o não ouvirdes, e se não propuserdes no vosso coração dar honra ao meu nome, diz Jeová dos exércitos, enviarei a maldição contra vós, e amaldiçoarei as vossas bênçãos; e já as tenho amaldiçoado, porque vós não pondes isso no coração. EIS QUE EU VOS CORROMPEREI A SEMENTE, e espalharei esterco sobre os vossos rostos” (Ml.2:2-3).

Jesus desceu a este mundo e estabeleceu a Igreja, cujo ventre traz à luz os santos, os puros, os fiéis, os humildes e misericordiosos. Jesus se declara cabeça da Igreja, pois assume a responsabilidade por ela, que é sua esposa. O adversário enche a igreja de joio, mas Jesus vai separar o trigo do joio na sua volta (Mt.13:36-43).

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta