(603) – DOIS MINISTÉRIOS 35

 

1)    O ministério do juramento envolve promessas futuras.

2)    O ministério do Novo Testamento envolve realidades atuais.

a)    Tudo o que Jeová faz ele sela com um juramento. O primeiro juramento de Jeová foi feito com Abraão. Jeová pediu a Abraão a vida de seu filho Isaque em sacrifício (Gn.22:1-2).

Abraão tomou dois moços, um jumento e Isaque, seu filho. E foi ao monte que Jeová determinou. Erigiu um altar, colocou nele Isaque e levantou o cutelo para imolar o seu filho. Aí o anjo de Jeová lhe bradou desde os céus, e disse: Abraão, Abraão! E ele disse: Eis-me aqui. “Então disse: Não estendas a tua mão sobre o moço, e não lhe faças nada; porquanto agora sei que temes a Jeová e não me negaste o teu filho, o teu único” (Gn.22:12). “E disse: Por mim mesmo, jurei, diz Jeová: Porquanto fizeste esta ação, e não me negaste o teu filho, o teu único, que deveras te abençoarei, e grandissimamente multiplicarei a tua semente, como as estrelas do céu e como a areia na praia do mar; e a tua semente possuirá a porta dos seus inimigos” (Gn.22:16-17). 

Este juramento está registrado no livro de Hebreus 6:13: “Porque quando Jeová fez a promessa a Abraão, como não tinha outro maior por quem jurasse, jurou por si mesmo”. O livro de Hebreus foi escrito de 50 a 60 anos depois de Cristo. O juramento foi feito a Abraão que viveu 2.000 anos antes de Cristo. Portanto, quando o livro de Hebreus foi escrito, os judeus criam no juramento de Jeová.

Quando Moisés desceu do monte Sinai, com as tábuas da lei, o povo tinha se corrompido. Então Moisés quebrou as tábuas. Desfeito o concerto, anulou o juramento. E o povo peregrinou por quarenta anos no deserto. Quando o povo chegou em frente a Canaã, Jeová renovou o juramento: “E fará tornar sobre ti todos os males do Egito, de que tu tiveste temor, e se apegarão a ti. Também o SENHOR (Jeová no hebraico) fará vir sobre ti toda a enfermidade e toda a praga, que não está escrita no livro desta lei, até que sejas destruído. E ficareis poucos homens, em lugar de haverdes sido como as estrelas dos céus em multidão; porquanto não destes ouvidos à voz do SENHOR (Jeová no hebraico), vosso deus. E será que, assim como o SENHOR (Jeová no hebraico)  se deleitava em vós, e fazer-vos bem e multiplicar-vos, assim o SENHOR (Jeová no hebraico) se deleitará em destruir-vos e desarraigados sereis da terra a qual passais a possuir” (Dt.28:58-63). 

São passados 3.600 anos que Jeová quebrou o juramento feito a Abraão. Os árabes que descendem de Abraão são hoje um bilhão e trezentos milhões. Os chineses são um bilhão e quinhentos milhões. Os hindus são mais de um bilhão e Israel são só quatorze milhões. São Paulo é maior que todo o Israel. Jeová jura pelo seu próprio nome e não cumpre o seu juramento.

b)   Para não comprometer o ministério do Novo Testamento, Jesus proíbe o juramento: “Outrossim, ouvistes que foi dito aos antigos: Não perjurarás, mas cumprirás teus juramentos. Eu, porém, vos digo: De maneira nenhuma jureis: nem pelo céu, porque é o trono de Deus; nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei, nem jurarás pela tua cabeça, porque não podes tornar um cabelo branco ou preto. Seja, porém, o vosso falar: sim, sim; não, não; porque o que passar disso é de procedência maligna” (Mt.5:33-37).

O juramento que Jeová quebrou há mais de três mil anos, ainda está na Bíblia.

 

Autoria: PASTOR OLAVO SILVEIRA PEREIRA

Deixe uma resposta