(333) – AS DUAS CASAS – IV

AS   DUAS   CASAS   4

            A primeira casa do deus de Jacó é o povo de Israel. Isaías, o profeta, diz: “E acontecerá, nos últimos dias, que se firmará o monte da Casa de Jeová no cume dos montes e se exalçará por cima dos outeiros; e concorrerão a ele todas as nações. E virão muitos povos e dirão: Vinde, subamos ao monte de Jeová, à casa do deus de Jacó, para que nos ensine o que concerne aos seus caminhos, e andemos nas suas veredas; porque de Sião sairá a lei, e de Jerusalém, a palavra de Jeová. E ele exercerá o seu juízo sobre as nações, e repreenderá a muitos povos; e estes converterão as suas espadas em enxadões e as suas lanças, em foices; não levantará espada nação contra nação, nem aprenderão mais a guerrear. Vinde, ó casa de Jacó, e andemos na luz de Jeová” (Is. 2:2-5; Nm.12:7).

A segunda Templo de Salomão“No ano em que morreu o rei Uzias, eu vi a Jeová assentado sobre um alto e sublime trono; e o seu séquito enchia o templo” (Is. 6:1-4). Jeová fala da sua casa, dizendo: “Também os levarei ao meu santo monte e os festejarei na minha Casa de Oração; os seus holocaustos e os seus sacrifícios serão aceitos no meu altar; porque a minha casa será chamada Casa de Oração para todos os povos” (Is. 56:7; 37:1; 64:11).

A casa de Jeová é também a casa de Moisés: “E disse Jeová: Ouvi agora as minhas palavras; se entre vós houver profeta, eu, Jeová, em visão a ele me farei conhecer ou em sonhos falarei com ele. Não é assim com o meu servo Moisés, que é fiel em toda a minha casa” (Nm. 12:6-7). “Pelo que, irmãos santos, participantes da vocação celestial, considerai a Jesus Cristo, apóstolo e sumo sacerdote da nossa confissão, sendo fiel ao que o constituiu, como também o foi Moisés em toda a sua casa” (Hb. 3:1-2). Os dois textos lidos provam que a casa de Moisés é a mesma casa de Jeová em relação ao povo de Israel.

A casa de Moisés e Jeová foi edificada sobre a lei: “E Moisés escreveu todas as palavras de Jeová, e levantando-se pela manhã de madrugada, edificou um altar ao pé do monte e doze monumentos, segundo as doze tribos de Israel; e enviou certos mancebos dos filhos de Israel, os quais ofereceram holocaustos e sacrificaram a Jeová sacrifícios pacíficos de bezerros. E Moisés tomou a metade do sangue e a pôs em bacias; e a outra metade do sangue espargiu sobre o altar. E tomou o livro do concerto e o leu aos ouvidos do povo, e eles disseram: Tudo o que Jeová tem falado faremos e obedeceremos. Então, tomou Moisés aquele sangue, e o espargiu sobre o povo, e disse: Eis aqui o sangue do concerto que Jeová tem feito convosco sobre todas estas palavras” (Ex. 24:4-8).

A casa de Jesus Cristo foi edificada sobre a graça, isto é, benevolência, favor, mercê, perdão. Ninguém se obriga a fazer nada, apenas crê em Jesus Cristo; por isso Paulo disse: “A graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens” (Tt. 2:11). E Paulo diz mais“Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça” (Rm. 6:14). Com isto Paulo está dizendo que todos os que estão debaixo da lei são dominados pelo pecado, pois a força do pecado é a lei (I Co. 15:56). O pecado é o cupim que derrubou a casa de Jeová e de Moisés, pois está escrito: “Até a lei estava o pecado no mundo, mas o pecado não é imputado não havendo lei” (Rm. 5:13). E Paulo, com brilhantismo, fala: “Veio, porém, a lei, para que a ofensa abundasse; ou melhor, para que o pecado abundasse” (Rm. 5:20). Cristo, então, declarou o que iria acontecer à casa de Jeová e Moisés“Eis que a vossa casa vai ficar-vos deserta” (Mt. 23:38).Nabucodonosor mandou seus exércitos, que queimaram a fogo a casa de Jeová, e também a cidade de Jerusalém (II Cr. 36:19). Então, segundo a promessa de Jeová, setenta anos depois, tudo seria restaurado (Jr. 29:10). O fato se cumpriu, pois Ciro, o persa, destruiu a Babilônia, e deu ordem para edificar o Templo, isto é, a casa de Jeová em 537 AC (II Cr. 36:22-23). Doze anos depois foi Neemias com um grupo para reedificar a cidade e os muros (Ne. 2:1-18). Mas o Templo foi destruído pela segunda vez no ano 170 AC pelas mãos de Antíoco, rei da Síria. No ano 40 AC, Herodes magno toma Jerusalém e ordena a reconstrução do Templo pela segunda vez, trabalho que durou 46 anos (Jo. 2:20). Pela terceira vez foi destruído o Templo, por Tito, general romano, no ano 70 DC. Os judeus foram escorraçados de Jerusalém e da palestina e ficaram sem pátria por 1948 anos, vagueando pelo mundo. Do Templo, a casa de Jeová, só restou o muro das lamentações. As duas casas de Jeová deixaram de existir. O reino e o Templo.

A única casa que ficou de pé foi a de Jesus Cristo, isto é, a Igreja. E há um detalhe. Moisés edificou a sua casa, que é também a casa de Jeová. Moisés não edificou a casa de Jesus Cristo. E Jesus não edificou a casa de Jeová e de Moisés, mas somente a sua própria casa. São duas edificações diferentes, e uma nada tem a ver com a outra. Isto está em Hb. 3:5-6.

E os judeus não crêem em Cristo, logo não têm casa para morar. E os evangélicos querem edificar a casa de Moisés, que não é a de Jesus Cristo. E ao tentar edificar a casa de Moisés, afastam ainda mais os judeus do Messias Salvador do mundo.

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta