(379) – JEOVÁ FAZ O BEM? – I

JEOVÁ FAZ O BEM? 1

 

Segundo a Bíblia, de uma mesma fonte não pode proceder água doce e água amargosa (Tg. 3:11). E Jesus declara que pelos frutos se conhece a árvore, de maneira que a árvore boa só produz frutos bons, e a árvore má só produz maus frutos (Mt. 7:16-19). Jesus declara também que Deus é bom, portanto, de Deus não pode proceder o mal, mas só o bem (Mt. 19:16-17).

Jesus disse: “Todas as coisas me foram entregues por meu Pai: e ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar” (Mt. 11:27).  Este texto revela que o único debaixo do céu que pode revelar o Deus Pai aos homens é Jesus. Revela também que Deus, o Pai, nunca se deu a conhecer aos homens. João é quem afirma essa verdade, dizendo: “Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, esse o fez conhecer” (Jo. 1:18). O apóstolo dos gentios, e o gênio do cristianismo, que recebeu de Jesus as revelações sobre os mistérios ocultos, isto é, o mistério da graça, o mistério da fé, o mistério do evangelho, o mistério do casamento, o mistério da piedade, etc., referenda o que João declarou em I Tm. 6:16.

Pois bem, Jeová, que se revelou a si mesmo como deus, dizendo: “Não há outro deus senão eu.” (Is.45:21). “Não há outro deus além de mim” (Is. 44:8). “Fora de mim não há deus” (Is. 44:6; 45:5). “Eu sou deus” (Is. 45:22). “Eu sou deus, e não há outro semelhante a mim” (Is. 46:9). Se Jeová só faz o bem, fica provado que ele é Deus. Se Jeová faz o bem e o mal, é uma fonte estanha; e se produz frutos maus e bons, está fora das verdades bíblicas. Vejamos:

1.   “Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo” (I Co. 15:22). Um pecou, e Jeová imputou a morte a todos os homens, mulheres e crianças até hoje. E a morte nos vem com dor e sofrimento; vem por fome, por espada, por peste, por pragas malignas. A morte é um mal, e todos foram condenados pelo pecado de Adão, segundo as escrituras. E o texto revela também que todos serão vivificados em Cristo, que foi enviado pelo Pai. Assim, Jeová só fez o mal, condenando à extinção, e o Pai só fez o bem enviando o seu Filho. A morte estabelecida por Jeová era a extinção, porque as escritura dizem o seguinte: “És pó, e em pó te tornarás” (Gn. 3:19). “Tal como a nuvem se desfaz e passa, aquele que desce à sepultura nunca tornará a subir” (Jó 7:9). “Mas, morto o homem, é consumido; sim, rendendo o homem o espírito, então onde está? Como as águas se retiram do mar, e o rio se esgota, e fica seco, assim o homem se deita, e não se levanta; até que não haja mais céus não acordará nem se erguerá de seu sono” (Jó 14:10-12). Jó declarou: “Porque decorridos poucos anos, eu seguirei o caminho por onde não tornarei” (Jó 16:22). “Porque o que sucede aos filhos dos homens, isso mesmo também sucede aos animais; a mesma coisa lhes sucede; como morre um, assim morre o outro, todos teem o mesmo fôlego; a vantagem dos homens sobre os animais não é nenhuma, porque todos são vaidade. Todos vão para um lugar; todos são pó, e todos ao pó tornarão. Quem adverte que o fôlego dos filhos dos homens sobe para cima, e que o fôlego dos animais desce para baixo da terra? Assim que tenho visto que não há coisa melhor do que alegrar-se o homem nas suas obras, porque essa é a sua porção; porque quem o fará voltar para ver o que será depois dele?” (Ec. 3:19-22). Está aí o homem condenado à extinção como qualquer animal. E Salomão, que nada sabia sobre Jesus Cristo, disse: “Quem o fará voltar para ver o que será depois dele?”Esse é Jesus, que desceu do céu, e aboliu a morte, e trouxe luz à vida e a incorrupção pelo evangelho(II Tm. 1:9-10). Jesus anulou na cruz, pela sua morte, o vaticínio de Jeová para destruir os homens.

2.   Jeová só faz o mal porque usa o mal para forçar os homens a obedecer a sua lei. Se o mal é o recurso supremo de Jeová para corrigir o mal, ele só faz o mal, e não sabe fazer outra coisas melhor. Jeová declarou: “Mas, se me não ouvirdes, e não fizerdes todos estes mandamentos, e se rejeitardes os meus estatutos, e a vossa alma se enfadar dos meus juízos, não cumprindo todos os meus mandamentos, para invalidar o meu concerto, então eu também vos fariseus isto: Porei sobre vós o terror, a tísica e a febre ardente, que consumam os olhos e atormentem a alma; e semeareis debalde a vossa semente, e os vossos inimigos a comerão. E porei a minha face contra vós, e sereis feridos diante dos vossos inimigos; e os que vos aborrecerem se assenhorearão de vós, e fugireis, sem ninguém vos perseguir. E, se ainda com estas coisas não me ouvirdes, então eu prosseguirei em castigar-vos sete vezes mais por causa dos vossos pecados” (Lv. 26:14-18). E Jeová, neste mesmo capítulo, prossegue aumentando cada vez sete vezes mais por diversas vezes. Não passou pelo seu coração, ardendo em furor e ódio, em nenhum momento, usar o amor. O fato é que o mal usado por Jeová deu efeito contrário. Nos dias do profeta Jeremias, que profetizou o fim do reino de Judá e o fim de Israel, Jeová declarou, dizendo: “Porquanto vossos pais me deixaram, diz Jeová, e se foram após deuses alheios, e os serviram, e se inclinaram diante deles, e a mim me deixaram, e à minha lei não guardaram. E vós fizestes pior do que vossos pais, e cada um de vós anda após o seu malvado coração, portanto lançar-vos-ei fora desta terra, para uma terra que não conhecestes, e ali servireis deuses estranhos de dia e de noite, porque não usarei de misericórdia para convosco” (Jr. 16:11-13).O mal destrói, o mal provoca rebelião, o mal tira do homem a semente do bem, o mal semeado é uma plantação de espinhos venenosos. Quem reage ao mal com outro mal, foi vencido pelo mal, e quem usa o mal para corrigir o mal, está ensinando a prática do mal. É o que fez Jeová. No Novo Testamento, Paulo, cheio do Espírito Santo, diz: “Aborrecei ao mal e apegai-vos ao bem” (Rm. 12:9). “Abençoai aos que vos perseguem, abençoai, e não amaldiçoeis” (Rm. 12:14). “A ninguém torneis mal por mal” (Rm. 12:17).“Se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça. NÃO TE DEIXES VENCER DO MAL, MAS VENCE O MAL COM O BEM” (Rm. 12:20-21).

3.   Jeová só faz o mal porque é o deus da guerra, isto é, ‘Jeová tsebaot’, no hebraico. Toda guerra é maligna porque é destruidora. Na guerra não há amor, nem paz, nem piedade, só morte e destruição. E porque? Porque um povo quer se apoderar dos bens de outro povo, ou escravizá-lo. Só o fato de Jeová se autodenominar Jeová tsebaot, prova que nele não há amor. O próprio Jeová declara o que acontece numa guerra. Leiamos: “Pelo que farei estremecer os céus, e a terra se moverá do seu lugar, por causa de Jeová dos exércitos (Jeová tsebaot), e por causa do dia da sua ardente ira” (Is. 13:13). “Todo o que for achado será traspassado; e todo o que for apanhado, cairá à espada. E suas crianças serão despedaçadas perante os seus olhos; as suas casas serão saqueadas, e as suas mulheres violadas. Eis que eu despertarei contra eles os medos, que não farão caso da prata, nem tão pouco desejarão o ouro. E os seus arcos despedaçarão os mancebos, e não se compadecerão do fruto do ventre; o seu olho não poupará os filhos” (Is. 13:15-18). E pensar que é Jeová o autor dessas monstruosidades.

Quando lemos que Jesus disse, cheio de amor: “Deixai vir os meninos a mim, e não os impeçais; porque dos tais é o reino de Deus.” (Mc. 10:14). Jeová destruía os donos e herdeiros do reino dos céus. Que ódio!

Graças a Deus que o Pai, cheio de amor e piedade, enviou Jesus Cristo, seu Filho unigênito, que na cruz anulou os juízos de Jeová tsebaot, e não somente vai libertar e salvar os condenados de Jeová (Gl. 4:4-5), mas vai arrancar as criancinhas inocentes da condenação e da morte, para que vão iluminar o reino de Deus Pai com sua inocência, sua pureza, seus cânticos e sua alegria. AMÉM.

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta