(651) – OS DONS DE JEOVÁ E OS DONS DO PAI

1)  “Cada qual, conforme o dom da sua mão, conforme a bênção que o Jeová, teu Deus, te tiver dado” (Dt.16:17). A bênção é a plantação que dá cento por um.

2)  “E também que todo homem coma e beba, e goze do bem de todo o seu trabalho. Isso é dom de Deus” (Ec.3:13). Este é o dom da fartura.

3)  “E quanto ao homem a quem Deus deu riquezas e fazenda, e lhe deu poder para delas comer, e tomar a sua porção, e gozar do seu trabalho, isso é dom de Deus” (Ec.5:19). Este é o dom dariqueza.

4)  “E os contaminei nos seus próprios dons, nos quais faziam passar pelo fogo tudo o que abre a madre; para os assolar, para que soubessem que eu sou Iahweh” (Ez.20:26). Jeová derrama o dom e depois amaldiçoa.

5)  “Todo o melhor do azeite, e todo o melhor do mosto e do grão, as suas primícias que derem a Iahweh as tenho dado a ti” (Nm.18:12). Este é o direito dos sacerdotes. É a bênção dos sacerdotes: “Porque todo sumo sacerdote, tomado dentre os homens, é constituído a favor dos homens nas coisas concernentes a Deus, para oferecer dons e sacrifícios pelos pecados, e possa compadecer-se ternamente dos ignorantes e errados, pois também ele mesmo está rodeado de fraqueza. E, por esta causa, deve ele, tanto pelo povo como também por si mesmo, fazer oferta pelos pecados. E ninguém toma para si essa honra, senão o que é chamado por Deus, como Arão” (Hb.5:1-4).

6)  “Que é uma alegoria para o tempo presente, em que se oferecem dons e sacrifícios que, quanto à consciência, não podem aperfeiçoar aquele que faz o serviço, consistindo somente em manjares, e bebidas, e várias abluções e justificação da carne, impostas até ao tempo da correção. Mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação” (Hb.9:9-11).

OS DONS DE DEUS PAI NO NOVO TESTAMENTO

1)  “E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo” (At.2:38). “E os fiéis que eram da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilharam-se de que o dom do Espírito Santo se derramasse também sobre os gentios” (At.10:45).

2)   A graça é um dom de Deus: “Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa; porque, se, pela ofensa de um, morreram muitos, muito mais a graça de Deus e o dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos. E não foi assim o dom como a ofensa, por um só que pecou; porque o juízo veio de uma só ofensa, na verdade, para condenação, mas o dom gratuito veio de muitas ofensas, para justificação. Porque, se, pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que receberam a abundância da graça e, do dom da justiça, reinarão em vida por um só, Jesus Cristo” (Rm.5:15-17). O dom da graça é o dom da justiça: “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus, nosso Salvador” (Rm.6:23). “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus” (Ef.2:8-9).

3)  “Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos. Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil. Porque a um, pelo Espírito, é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência, e a outro, pelo mesmo Espírito, fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar; e a outro, a operação de maravilhas; e a outro, profecia; e a outro, discernir os espíritos; e a outro, a variedade de línguas; e a outro, a interpretação das línguas. Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer” (1 Co.12:4-11).

4)  “Toda boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança, nem sombra de variação” (Tg.1:17).

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta