(538) – DOIS MINISTÉRIOS – XI

  DOIS   MINISTÉRIOS  11

 

As evidências de que o ministério de Jeová é exatamente o oposto do ministério de Jesus Cristo são tão claras, que é crime iludir os neófitos, igualando-os. Analisem os argumentos seguintes:

Jeová era servido pelas mãos dos homens. Moisés falou a Faraó da parte de Jeová, dizendo: “Jeová, o deus dos hebreus, me tem enviado a ti, dizendo: Deixa ir o meu povo, para que me sirva no deserto” (Ex.7:16). Jesus Cristo disse aos discípulos: “Porque o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e dar a sua vida em resgate de muitos” (Mc.10:45). Leia At.17:24-25, onde o Deus que fez o mundo e tudo o que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens, nem tampouco é servido por mãos de homens, como que necessitando de alguma coisa.

Se nem Jesus e nem o Pai são servidos por mãos de homens, fica provado que existem dois ministérios contrários, pois no ministério de Jeová todos o serviam:

1.     Os anjos serviam a Jeová: “Bendizei a Jeová, anjos seus, magníficos em poder, que cumpris as suas ordens, obedecendo à voz da sua palavra” (Sl.103:20). Com respeito a Jesus, na ressurreição, recebeu todo o poder (Mt.28:18). Depois de quarenta dias subiu ao céu, e submeteu os anjos, as autoridades e as potências (I Pd.3:20-22), pois os anjos não lhe eram sujeitos.

2.     Jeová formou o povo de Israel para servi-lo. Antes de Moisés falar com Faraó, falou a Moisés sobre isso. Foram dez vezes que Moisés falou a Faraó, dizendo: “Deixa ir o meu povo para que me sirva” (Ex.4:23; 7:16; 8:1, 20; 9:1, 13; 10:3). Mas Paulo declara pelo Espírito Santo que Deus, o Pai, não é servido por mãos de homens (At. 17:24-25).

3.     Servo é aquele que serve. Josué era servo de Moisés: “E levantou-se Moisés com Josué, seu servidor, e subiu ao monte de deus” (Ex.24:13). Josué obedecia cegamente às ordens de Moisés, pois era seu servo. Pois bem. Ezequiel, o profeta, declara que Jeová entregou o Egito nas mãos dos maus; e quem era o homem mau que destruiu o Egito? Nabucodonosor, rei de Babilônia (Ez.30:10-12).Pois Nabucodonosor, homem cruel, soberbo e impiedoso, era servo de Jeová. Leiamos o que o próprio Jeová fala desse rei conquistador e assassino: “Eu fiz a terra, o homem, e os animais que estão sobre a face da terra, pelo meu grande poder, e com o meu braço estendido, e os dou àquele que me agrada em meus olhos. E agora, eu entreguei todas estas terras na mão de Nabucodonosor, rei de Babilônia, meu servo; e ainda até os animais do campo lhe dei, para que o sirvam” (Jr.27:5-6). E Jeová era tão apaixonado por Nabucodonosor e suas obras malignas, que repete diversas vezes que este era seu servo (Jr.25:9; 43:10-11). O profeta Daniel canta de forma magistral os favores de Jeová a Nabucodonosor, dizendo: “Tu, ó rei, és rei de reis; pois o deus do céu te tem dado o reino, e o poder, e a força, e a majestade. E onde quer que habitem filhos de homens, animais do campo, e aves do céu, ele os entregou na tua mão, e fez que dominasses sobre todos eles; tu és a cabeça de ouro” (Dn.2:37-38). Jeová tinha dado a Nabucodonosor o sonho de uma grande estátua, cuja cabeça era de ouro, seus peitos e seus braços eram de prata, o seu ventre e suas coxas eram de bronze, as pernas de ferro; seus pés eram em parte de ferro e em parte de barro (Dn.2:32-33). O que põe por terra esta fábula, é que Paulo revela que Deus, o Pai, deixou todas as nações andarem em seus próprios caminhos (At.14:15-16).

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta