(382) – O REINO DE JEOVÁ – II

O REINO DE JEOVÁ 2

Davi faz uma declaração reveladora: “Jeová tem estabelecido o seu trono nos céus, o seu reino domina sobre tudo” (Sl. 103:19). Entende-se por esta declaração que o reino de Jeová é nos céus. O profeta Isaías faz outra declaração: “Assim diz Jeová: O céu é o meu trono, e a terra é o escabelo dos meus pés. Que casa me edificaríeis vós? e que lugar seria o do meu descanso?” (Is. 66:1). Escabelo é um pequeno banco para descansar os pés. O rei volta da jornada, assenta-se no trono e descansa os pés no escabelo, isto é, no banco. Mas Davi faz outra revelação, dizendo: “Porque Jeová elegeu a Sião; desejou-a para sua habitação, dizendo: Este é o meu repouso para sempre; aqui habitarei, pois o desejei” (Sl. 132:13-14). Entendemos que Sião, isto é, o reino de Israel, é o escabelo de Jeová em Canaã, a terra prometida. Jeremias deixou isso claro, quando disse: “Como cobriu Jeová de nuvens na sua ira a filha de Sião! derribou do céu à terra a glória de Israel, e não se lembrou do escabelo de seus pés, no dia da sua ira” (Lm. 2:1).Jeremias, o profeta, está dizendo que Jeová espatifou o seu banco para descansar os pés, isto é, o escabelo.

A pergunta é: Por que Jeová colocou na terra um escabelo para descansar os pés? Se ele era deus, deveria saber que o escabelo não era de boa madeira, e que ele mesmo ia destruir o banquinho, e jamais descansaria os pés nesse escabelo. Eis como Jeová destruiu o escabelo que construiu: “Disse Jeová: Também a Judá hei de tirar de diante da minha face, como tirei a Israel, e rejeitarei esta cidade de Jerusalém que elegi, como também a casa de que disse: Estará ali o meu nome” (II Rs. 23:27). Por causa da corrupção de Salomão, Jeová dividiu o reino em dois. Dez tribos ficaram com Jeroboão, filho de Nebate, e duas ficaram com Roboão, filho de Salomão (I Rs. 11:29-36). Eu mencionei duas tribos para Roboão, porque com a tribo de Judá ficou a tribo de Levi, que fora eleita por Jeová para ministrar no seu templo em Jerusalém. Eram, pois, dois reinos: O do norte, Israel, ficou com Jeroboão; e o do sul, Judá, que ficou com Roboão.

Jeová destruiu no furor da sua ira, o reino de Israel (II Rs. 17:20-23). E depois declara, que com o mesmo furor odioso ia destruir também o reino de Judá, o templo, a cidade, e tudo mais, como mostramos acima (II Rs. 23:27).

Vamos agora ver se o escabelo construído por Jeová era feito de boa madeira. O reino de Jeová, estabelecido na terra, foi inaugurado no monte Sinai, quando estabeleceu o concerto da lei, logo que o povo foi libertado do Egito. Ele disse, antes de dar a lei: “VÓS ME SEREIS UM REINO SACERDOTAL E O POVO SANTO” (Ex. 19:6). Logo em seguida, do meio das trevas, de tempestade, e de buzinas, ditou a sua lei tenebrosa (Hb. 12:18-21; Ex. 20). Por que escuridão? Por que trevas e fogo? Por que tempestade?

1. Pela lei vem o conhecimento do pecado (Rm. 3:20). A lei é a força do pecado (I Co. 15:56). “A lei não é feita para o justo, mas para os injustos e obstinados, para os ímpios e pecadores, para os profanos e irreligiosos, para os parricidas, e matricidas, para os homicidas, para os fornicarios, para os sodomitas, para os roubadores de homens, para os mentirosos, para os perjuros, e para o que for contrário à sã doutrina, conforme o evangelho da glória de Deus bem-aventurado, que me foi confiado” (I Tm. 1:9-11). Esta declaração de Paulo revela qual o tipo de povo, que formava o reino de Jeová desde o princípio, e qual a qualidade da madeira que Jeová usou para fabricar o seu escabelo. Na carta aos Hebreus lemos que a lei nada aperfeiçoou, por causa da sua fraqueza e inutilidade (Hb. 7:18-19). Muito pelo contrário. Paulo afirma que a lei desperta na carne paixões pecaminosas: “PORQUE, QUANDO ESTÁVAMOS NA CARNE, AS PAIXÕES DOS PECADOS, QUE SÃO PELA LEI, OBRAVAM EM NOSSOS MEMBROS, PARA DAREM FRUTO PARA A MORTE” (Rm. 7:5). Do começo até ao fim do reino de Jeová, o povo que o formava era de pecadores, por isso ele disse: “EIS QUE OS OLHOS DO SENHOR JEOVÁ ESTÃO CONTRA ESTE REINO PECADOR, E EU OS DESTRUIREI DE SOBRE A FACE DA TERRA” (Am. 9:8). Jeová escolheu madeira errada para fabricar o seu escabelo, ou o projeto foi intencional? Disse o salmista: “Jeová; quão variadas são as tuas obras! todas as coisas fizeste com sabedoria; cheia está a terra das tuas riquezas” (Sl. 104:24).

2. Como lemos acima, as paixões dos pecados, que são pela lei, operam obras que matam (Rm. 7:5).Ora, a lei foi dada por Jeová, não para aperfeiçoar os homens (Hb. 7:18-19), mas para imputar pecados. Paulo diz: “Até a lei estava o pecado no mundo, mas o pecado não é imputado, não havendo lei” (Rm. 5:13).Jeová declarou que não há homem justo que nunca peque (Ec. 7:20). O pecado mata a alma (Ez. 18:4).Como todos pecam, todos estão mortos em delitos e pecados. Paulo declara que todas as almas estavam mortas até a ressurreição de Cristo (Cl. 2:13). O reino de Jeová era formado, desde o princípio, de defuntos espirituais. Um judeu se converteu a Cristo, e disse: “Eu te seguirei; Senhor, permite-me primeiro que vá sepultar meu pai. Jesus lhe disse: Segue-me, e deixa os mortos sepultar os seus mortos” (Mt. 8:21-22). Jesus estava ciente que o reino de Jeová era formado de mortos, ao contrário do reino de Cristo, que é formado de vivos. O próprio Jesus disse: “Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida” (Jo. 5:24). Ora, se o reino de Jeová era formado de mortos, e o de Deus Pai e de Cristo é formado de vivos, Jeová nada tem a ver com o Pai, ou com Jesus; mas tem muito a ver com Satanás, que também tem um reino de mortos (Hb. 2:14-15).

3. Em terceiro lugar, o reino de Jeová era regido pela lei, e a lei inclui as pavorosas maldições de Jeová, que estão em Dt. 28:15-68. Paulo disse: “Todos aqueles pois que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las” (Gl. 3:10). De modo que o reino de Jeová é formado de malditos desde o início, no monte Sinai. Que desgraça. Um povo formado de pecadores, de malditos, e de mortos. As maldições de Jeová sempre tiveram tanta força que os cristãos esquecem que Cristo nos resgatou das maldições fazendo-se maldição por nós (Gl. 3:13). Esquecem-se também que Jesus Cristo levou os nossos pecados no seu corpo sobre o madeiro (I Pd. 2:24). O apóstolo João declara que quem peca nunca viu e nem conheceu a Cristo (I Jo. 3:5-6).

Ao contrário de Jeová, os que são de Cristo, e formam o seu reino, passaram da morte para a vida desde a conversão, foram resgatados das maldições, e Paulo declara: “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo” (Ef. 1:3). E por ultimo Jesus nos liberta do pecado pela ação do Espírito Santo que habita em nós (Rm. 6:18).

O reino de Jesus é diferente do reino de Jeová, por isso Lucas diz: “A lei e os profetas duraram até João; desde então é anunciado o reino de Deus” (Lc. 16:16).

 

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta