(207) – AUTOR E CONSUMADOR DA FÉ – V

AUTOR E CONSUMADOR DA FÉ – V

Jeová ordenou os sacrifícios da lei. “Um altar de terra me farás e sobre ele sacrificarás os teus holocaustos, e as tuas ofertas pacíficas, as tuas ovelhas, e as vacas; em todo o lugar, onde eu fizer celebrar a memória do meu nome, virei a ti, e te abençoarei” (Ex. 20:24). Se os sacrifícios da lei fossem figura do sacrifício de Jesus Cristo, Jeová seria o autor e consumador da fé. Os sacrifícios do Velho  Testamento faziam parte da lei. “Sacrifício e oferta, e holocaustos e oblações pelo pecado não quiseste, os quais se oferecem segundo a lei” (Hb. 10:8). No mesmo livro de Hebreus lemos: “Porque o precedente mandamento é abrogado por causa da sua fraqueza e inutilidade, pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou” (Hb. 7:18-19). Se a lei nenhuma coisa aperfeiçoou, ela é imperfeita, inútil e fraca, como afirma o texto. A lei de Jeová não é figura da lei de Jesus Cristo, e nem os sacrifícios da lei de Jeová são também figura de Cristo. Aquilo que é imperfeito não pode ser figura daquilo que é perfeito. Damos um exemplo bíblico do Velho Testamento. O capítulo21 do livro de Levítico trata de leis sobre a pessoa do sacerdote. Quais os requisitos necessários para que possa ministrar no santuário. O texto fala que devem ser santos, não tocarão em prostitutas, não tomarão mulher repudiada pelo marido. Não tocarão cadáver, nem de seu pai ou de sua mãe, para que se não contaminem, etc. O texto continua: “Fala a Arão dizendo: Ninguém da tua semente, nas suas gerações, em que houver alguma falta, se chegará a oferecer o pão do seu deus. Pois nenhum homem em que houver alguma deformidade se chegará; como homem cego, ou coxo, ou de nariz chato, ou de membros demasiadamente compridos. Ou homem que tiver pé quebrado, ou quebrada a mão, ou corcovado, ou anão, ou que tiver belida no olho, ou sarna ou impigens ou que tiver testículo quebrado. Nenhum da semente de Arão, o sacerdote, em que houver alguma deformidade, se chegará para oferecer as ofertas queimadas de Jeová; falta nele há; não se chegará para oferecer o pão do seu deus” (Lv. 21:17-21). A pergunta que fazemos é a seguinte: Cego é figura de quem vê? Corcunda é figura de homem perfeito? Coxo é figura de quem anda? É claro que não é, pois é imperfeito. Assim também, sendo a lei imperfeita não pode ser figura da lei de Cristo, que é a lei do amor (Jo. 13:34; I Co. 9:20-21). Os sacrifícios dos touros e dos bodes não tiram pecado de ninguém (Hb. 10:4). Se tirassem os pecados, Jeová seria o autor e consumador da fé (Hb. 12:2). Um sacerdote imperfeito não pode ser figura de outro perfeito. “De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico, (porque sob ele o povo recebeu a lei) que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse? (Hb. 7:11).

Se Jeová e Jesus são a mesma pessoa, como afirmam alguns teólogos, nesse caso, Jesus seria autor de dois sacrifícios diferentes .Um imperfeito e um perfeito; um inútil e outro útil; um fraco e outro forte (Hb. 7:18-19).Um que condena e outro que salva, e nesse caso Jesus teria dois pesos e duas medidas. Jeová exigia muitos sacrifícios. “A espada de Jeová está cheia de sangue, está cheia de gordura de sangue de cordeiros e de bodes, da gordura dos rins de carneiros, por que Jeová tem sacrifícios em Bozra, e grande matança na terra de Edom” (Is. 34:6). “Porque este dia é dia do Senhor  Jeová dos exércitos, dia de vingança para se vingar de seus adversários; e a espada devorará, e fartar-se-á, e embriagar-se-á com o sangue deles; porque  o Senhor Jeová dos exércitos tem um sacrifício na terra do norte, junto ao rio Eufrates (Jr. 46:10).“Tu pois, ó filho do homem, assim diz o Senhor Jeová: Dize as aves de toda a espécie, e a todos os animais do campo: Ajuntai-vos e vinde, vinde de toda parte para o meu sacrifício, que eu sacrificarei por vós, sacrifício grande nos montes de Israel, e comei a carne e bebei sangue” (Ez. 39:17) – (esse sacrifício se refere a Gogue); “Cala-te diante do Senhor Jeová por que o dia de Jeová está perto; porque Jeová preparou sacrifício e santificou os seus convidados” (Sf. 1:7). Neste sacrifício quem vai morrer? Os habitantes de Jerusalém (Sf. 1:12). Jeová é tão vidrado por sacrifícios, que profetizou a restauração de  Israel, fato que começou a acontecer em 1948, portanto há 50 anos atrás. Essa restauração está em Ez. 37. Mas Jesus veio há dois mil anos, portanto os sacrifícios da lei não tem mais valor. Mas Jeová promete restaurar o templo de Salomão, e também o sacerdócio levítico e os sacrifícios de bodes e carneiros . Isto esta em Ez. 43:1-27.

Lemos no Velho Testamento que os sacrifícios da lei agradavam Jeová que se agradava do cheiro de sangue. O israelita trazia o gado ao sacerdote para a espiação do pecado. O gado era degolado, o sangue do bezerro espargido sobre o altar. Depois o bezerro era cortado em pedaços. Esses pedaços eram queimados no fogo do altar. É o holocausto. O cheiro dessa carnificina que se fazia o dia todo, era cheiro suave a Jeová (Lv. 1:1-9). O sangue tem um cheiro de açougue, mas Jeová adora. Só num dia Salomão ofereceu em sacrifício a Jeová vinte e duas mil vacas, cento vinte mil ovelhas (I Rs. 8:63). O trabalho dos sacerdotes era muito grande diariamente. E esse cheiro de sangue era o melhor perfume de Jeová. Citamos em alguns textos: Lv. 1:9, 13, 17, 22; 9:12; 3:5, 16; 4:31; 6:15-21;  8:21, 28 etc… Sacrifícios imperfeitos eram perfume para Jeová .

Vamos para os sacrifícios humanos. Eram imperfeitos e inúteis, mas Jeová os aceitava com perfeitos. O povo de Israel, por conselho de Balaão, se prostituiu com as mulheres moabitas. A irá de Jeová explodiu, e disse a Moisés: “Toma todos os cabeças do povo e enforca-os a Jeová diante do sol, e o ardor da ira de Jeová se retirará de Israel” (Nm. 25:1-4). No livro de Hebreus lemos que aqueles sacrifícios do Velho Testamento não eram aceitos por Deus Pai. “Sacrifício e ofertas, e holocaustos e oblações pelo pecado não quiseste ” (Hb. 10:8) . Os versos 5 e 6 falam que Deus, o Pai, não os quis, nem se agradava deles. O único sacrifício aceito por Deus, é o de Cristo, o autor e consumador da fé  (Hb. 10:9-12).

Temos mais casos de sacrifícios inúteis que eram cheiro suave  Jeová. Saul estava morto há uns 35 anos, e a ira de Jeová permanecia atroz e cruel. Sete filhos do defunto foram enforcados a Jeová, e a e a ira atroz se acalmou, pois Jeová aceita sacrifícios imperfeitos (II Sm. 21:1-14). O que agrava esta vingança é que os sete filhos de Saul nada tinham a ver com o mal do pai. Jeová tinha dois prazeres. O primeiro era o cheiro suave do sangue dos milhares de sacrifícios de bezerros, ovelhas e bodes. O segundo era quando, cheio de furor matava os próprios filhos (Dt. 28:63). Pode um pai se deleitar matando o filho de forma cruel? Pois está escrito que Jeová contaminava o seu povo para vê-los sacrificar os filhos no fogo à Moloque (Ez. 20:26).

Jesus, que desceu do céu para revelar o amor do Pai pelos homens, nunca pediu sacrifícios de terceiros, mas ofereceu-se a si mesmo em sacrifício para resgatar das mãos de Jeová . E isto com um único sacrifício: “Jesus se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniquidade e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras” (Tt. 2:14). Este foi o deleite de Jesus Cristo, o Autor e Consumador da fé.

Autoria Pastor Olavo S. Pereira

Deixe uma resposta