(430) – VIM PARA QUE TENHAIS VIDA

VIM PARA QUE TENHAIS VIDA

Estas são palavras de Jesus: “O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenhais vida, e a tenham com abundância” (Jo. 10:10). E disse mais Jesus: “Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá” (Jo. 11:25). Neste verso Jesus declara que ele é a vida, e que comunica a vida àqueles que estão mortos, logo Jesus não mata ninguém; falamos de morte espiritual, pois Paulo diz: “E, quando vós estáveis mortos nos pecados, e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-vos todas as ofensas” (Cl. 2:13). A morte espiritual é o prêmio do pecado: “O salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor” (Rm. 6:23). Certa vez, uns samaritanos não receberam Jesus em sua aldeia. Tiago e João, que adoravam Jeová como deus verdadeiro, disseram: “Senhor, queres que digamos que desça fogo do céu, e os consuma, como Elias também fez? Voltando-se porem, repreendeu-os, e disse: Vós não sabeis de que espírito sois? Porque o Filho do homem não veio para destruir as almas dos homens, mas para salvá-las” (Lc. 9:51-56). Duas grandes verdades encontramos aqui:

1) O Espírito de Cristo não é o mesmo de Jeová.

2) Jeová destrói a alma dos homens e Jesus as arranca da morte pela ressurreição batismal. É Paulo que declara isso: “SEPULTADOS COM ELE NO BATISMO, NELE TAMBÉM RESSUSCITASTES PELA FÉ NO PODER DE DEUS, QUE O RESSUSCITOU DOS MORTOS” (Cl. 2:12). Paulo registra a mesma doutrina em Rm. 6:4-8.

Jeová destrói as almas dos homens, pois ele mesmo declarou: “A alma que pecar, essa morrerá” (Ez. 18:4). Mas antes da lei Jeová destruía as almas dos homens. Antes do dilúvio, Jeová declarou:“Destruirei de sobre a face da terra, o homem que criei, desde o homem até ao animal” (Gn. 6:7).

Sobre a morte de todos os primogênitos na terra do Egito, lemos: “Porque Jeová passará para ferir os egípcios, porém quando vir o sangue na verga da porta, e em ambas as umbreiras, Jeová passará aquela porta, e não deixará o destruidor entrar em vossas casas” (Ex. 12:23). A impressão que dá, é que o destruidor é outro, mas o que está escrito revela que Jeová é o destruidor: “E aconteceu, à meia noite, que Jeová feriu a todos os primogênitos na terra do Egito” (Ex. 12:29). Em Ex. 13:15 lemos novamente que Jeová matou os primogênitos. Não há dúvida. Jeová é o destruidor das almas, e Jesus Cristo é o Salvador das almas. Com Jeová está a morte, por isso Davi declara: “A JEOVÁ, O SENHOR, PERTENCEM AS SAÍDAS DA MORTE” (Sl. 68:20). E o próprio Jeová responde a Moisés, quando este disse: “Rogo-te que me mostres a tua glória”. A resposta foi: “NÃO PODERÁS VER A MINHA FACE, PORQUANTO HOMEM NENHUM VERÁ A MINHA FACE, E VIVERÁ” (Ex. 33:18-20). Esta declaração de Jeová se opõe à de Jesus, que disse:“Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: que todo aquele que vê o Filho, e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia” (Jo. 6:40).

Jeová é diferente. Ele é tão apegado aos mortos que fundou um reino de cadáveres espirituais, pois no Velho Testamento todos estavam mortos em delitos e pecados. Este mistério é revelado por Paulo, que disse: “Porque, se pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por um só – Jesus Cristo”. (Rm. 5:17). Paulo está revelando que, espiritualmente todos estavam mortos antes de Cristo, por causa do pecado. Só em Jesus os homens saem da morte, por isso ele mesmo declarou: “Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida” (Jo. 5:24).

Ora, Jeová fundou o seu reino mil e seiscentos anos antes de Cristo, portanto, um reino de mortos espirituais. Um reino de defuntos espirituais, pois todos os pecadores estão mortos nos pecados, por isso Jesus disse a um discípulo que queria segui-lo, mas precisava primeiro sepultar seu pai que havia morrido: “Segue-me, e deixa aos mortos sepultar os seus mortos” (Mt8:22). E o apóstolo dos gentios novamente fala disso, dizendo: “ESTANDO NÓS AINDA MORTOS EM NOSSAS OFENSAS, NOS VIVIFICOU JUNTAMENTE COM CRISTO (PELA GRAÇA SOIS SALVOS)” (Ef. 2:5). Notem que Paulo disse: “Estando nós ainda mortos”. Paulo era um religioso fiel e observador da lei nos mínimos detalhes. Ele é que proclama essa verdade: “SE ALGUM OUTRO CUIDA QUE PODE CONFIAR NA CARNE, AINDA MAIS EU, CIRCUNCIDADO AO OITAVO DIA, DA LINHAGEM DE ISRAEL, DA TRIBO DE BENJAMIM, HEBREU DE HEBREUS; SEGUNDO A LEI, FARISEU, SEGUNDO O ZELO, PERSEGUIDOR DA IGREJA, SEGUNDO A JUSTIÇA QUE HÁ NA LEI, IRREPREENSÍVEL” (Fp. 3:4-6). Se Paulo, um judeu fiel à lei, e irrepreensível, declara que estava morto em delitos e pecados, todos os judeus estavam mortos, como também todo o Israel que formava o reino e Jeová. JEOVÁ É O REI DOS MORTOS.

E Jeová revela por boca de Isaías, que vai criar um novo céu e uma nova terra, dizendo: “Porque, como os céus novos, e a terra nova, que hei de fazer, estarão diante de minha face, diz Jeová, assim há de estar a vossa posteridade e o vosso nome. E será que desde uma lua nova até a outra, e desde um sábado até o outro, virá toda a carne a adorar perante mim, diz Jeová. E SAIRÃO, e verão os corpos mortos dos homens que prevaricaram contra mim; porque o seu bicho nunca morrerá, nem o seu fogo se apagará; e serão um horror para toda a carne” (Is. 66:22-24).

Jeová não abre mão dos mortos, nem no novo céu e na nova terra. E os que adoram a Jeová, horrorizados, eternamente são condenados a contemplar essa montanha de cadáveres em decomposição, sendo comidos por vermes. Isso não é um novo céu, mas um novo inferno.

Os salvos por Cristo irão para o reino celestial de Deus (II Tm. 4:18; I Pd. 1:3-4), e João, o apóstolo do amor, descreve o quadro: “E ali nunca mais haverá maldição contra alguém; e nela estará o trono de Deus e do cordeiro, e os seus servos o servirão. E verão o seu rosto, e nas suas testas estará o seu nome. E ali não haverá mais noite, e não necessitarão de lâmpada nem de luz do sol, porque o Senhor Deus os alumia; e reinarão para o todo sempre” (Ap. 22:3-5).

Esta é a vida abundante que Jesus nos dá nesta vida, e na outra!

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta