(082) – ADÃO

Adão, no hebraico Adom, se traduz por senhor. Adão era Senhor, e Paulo nos revela que era figura do Messias. “No entanto a morte reinou desde Adão até Moisés, até sobre aqueles que não pecaram à semelhança da transgressão de Adão, o qual é a figura daquele que havia de vir” (Rm. 5:14).

Vamos comparar os atos de Adão com os atos de Jesus Cristo para ver se de fato Adão é figura de Jesus, pois Jesus é o último Adão: “Assim também está escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente: o último Adão em espírito vivificante” (1 Co. 15:45). Sendo Jesus o último Adão, e sendo o primeiro também Adão, é óbvio que o primeiro seria figura de Jesus Cristo. Comparemos a figura com o original:

1. O primeiro Adão veio da terra, conforme Gn. 2:7, que diz: “E formou Jeová deus o homem do pó da terra, e soprou em seus narizes o fôlego da vida.” O último Adão, Jesus, veio do céu: “Porque eu desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou” (Jo. 6:38).

2. O primeiro Adão pecou, mas Jesus, o último Adão, obedeceu (Rm. 5:12).  “E Jesus, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte, e morte de cruz” (Fl. 2:8).

3. Adão ocultou o pecado no coração: “Se, como Adão, encobri as minhas transgressões, ocultando o meu delito no meu seio” (Jó 31:33). Jesus, sendo puro e santo, assumiu e confessou os nossos pecados como seus: “Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça” (1 Pd. 2:24).

4. O primeiro Adão pecou porque era árvore má, pois árvore boa não dá mau fruto conforme  (Mt. 7:16-20). Jesus Cristo é árvore boa, e não pecou (Jo. 8:46).

5. O primeiro Adão foi soberbo e cobiçoso ao querer ser como Deus (Gn. 3:4-6). Jesus, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas aniquilou-se a si mesmo, tomando forma de servo (Fl. 2:6-7).

6. Adão foi expulso do paraíso por ser indigno (Gn. 3:22-23). Jesus abriu as portas do paraíso para todos, até para os ladrões, pois disse a um dos ladrões que estavam sendo crucificados: “…hoje estarás comigo no Paraíso” (Lc. 23:43). Jesus levou Paulo ao paraíso (2 Co. 12:4).

7. O primeiro Adão entregou tudo nas mãos de Satanás. “Porque a criação ficou sujeita a vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus” (Rm. 8:20-21). Jesus nos dá poder para vencer Satanás: “E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o diabo, e Satanás, que engana a todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele. E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora chegada está a salvação, e  a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derribado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite, e eles o venceram pelo sangue do cordeiro” (Ap. 12:9-11).

8. O primeiro Adão nos legou desgraça e morte, e o último trouxe graça abundante: “Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça, que é dum só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos” (Rm. 5:15).

9. Adão nos trouxe juízo e condenação, Jesus trouxe justificação e salvação. “E não foi assim o dom como a ofensa, por um só que pecou. Porque o juízo veio de uma só ofensa, na verdade, para condenação, mas o dom gratuito veio de muitas ofensas para justificação de vida” (Rm.5:16, 18).

10.O primeiro Adão introduziu neste mundo o reino da morte de Satã; Jesus, o último Adão, introduziu entre nós o reino de Deus. “Porque se pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida, por um só, Jesus Cristo” (Rm. 5:17).

11.Adão trouxe à toda a humanidade maldição e pecado (Rm. 5:12; Gl. 3:10). Jesus resgata todos os homens da maldição da lei; fazendo-se maldição por nós (Gl. 3:13). “E bem sabeis que ele se manifestou para tirar os nossos pecados; e nele não há pecado. QUALQUER QUE PERMANECE NELE NÃO PECA; QUALQUER QUE PECA NEM O VIU NEM O CONHECEU” (1 Jo. 3:5-6; Rm. 6:17-18).

12.Adão, pusilânime, lançou a culpa sobre a mulher (Gn. 3:11-12). Jesus, por amor, deu a vida pela mulher para santificá-la: “Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a Igreja, e a si mesmo se entregou por ela, para a santificar” (Ef. 5:25-26).

Há muitas outras diferenças entre o primeiro e o último Adão, que provam que Adão não é figura de Cristo, pois a figura revela semelhanças, e Adão, nas obras é o oposto de Jesus. Poderia ser figura do diabo, não de Jesus. O fato é que o apóstolo Paulo afirma em Rm.5:14, que Adão é figura daquele que havia de vir. Se Adão não é figura de Jesus, é figura de outro, que não veio. Ora, o Messias de Jeová seria um rei tirânico, como diz o Salmista. “Tu os esmigalharás com uma vara de ferro; tu os despedaçarás como a um vaso de oleiro” (Sl. 2:9). “A tua destra, ó Jeová, se tem glorificado em potência; a tua destra, ó Jeová, tem despedaçado o inimigo” (Ex. 15:6). “Julgará com justiça os pobres, e repreenderá com equidade os mansos da terra; e ferirá a terra com a vara da sua boca, e com o sopro dos seus lábios matará o ímpio” (Is. 11:4). “E deu a luz um filho, um varão que há de reger as nações com vara de ferro” (Ap. 12:5).

Jesus foi manso e humilde (Mt. 11:29). Em vez de castigar os ímpios, deu a vida por eles. “Porque eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores ao arrependimento” (Mt. 9:13). Em vez de implantar um reino despótico, Cristo reconciliou os ímpios com o Pai: “Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados” (2 Co. 5:19).

Parece que o Messias esperado por Israel não veio nem virá jamais. E se viesse, poria a perder o seu povo, como Adão fez, pois Adão é figura, e péssima figura. O Pai, que é todo feito de amor, quer salvar a todos e jamais enviaria o Messias déspota prometido por Jeová.

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta