(305) – IRA DO CORDEIRO

IRA  DO  CORDEIRO

         O filho da ovelha é o cordeiro tenro e novo, que ao se tornar adulto é o carneiro. O cordeiro é manso e indefeso, e por isso é figura de pessoas mansas e humildes, em geral crianças. São os cordeirinhos inocentes. Seguindo esta comparação, jamais um cordeiro poderia ser figura de um rei dominador e guerreiro. Seria incoerente e ilógico.

Jesus Cristo é chamado na Bíblia de Cordeiro. João Batista viu Jesus vindo em sua direção, e disse:“Eis o cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (Jo. 1:29). Mas por que Jesus é chamado de cordeiro, se o cordeiro é o carneiro ainda criança? É que a submissão e a obediência de Jesus são tão sublimes, que só podem ser comparadas à de uma criança pura e inocente, isto é, um cordeiro. Isaías, o profeta, fala de Jesus, dizendo: “Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas Jeová fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos. Ele foi oprimido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e, como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a sua boca” (Is. 53:6-7). O apóstolo Paulo escreveu: “De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas aniquilou-se a si mesmo, tomando forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz” (Fp. 2:5-8). O próprio Senhor Jesus Cristo, fala de si mesmo, dizendo“Aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração” (Mt. 11:29). Os irmãos João e Tiago, apóstolos entre os doze, fizeram um pedido a Jesus:“Concede-nos que na tua glória nos assentemos, um à tua direita, e outro à tua esquerda” (Mc. 10:37). Jesus lhes disse: “Sabeis que os que julgam ser príncipes das gentes delas se assenhoreiam, e os seus grandes usam de autoridade sobre elas; mas entre vós não será assim; antes, qualquer que entre vós quiser ser grande, será servo de todos. Porque o Filho do homem também não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos” (Mc. 10:42-45). Jesus é Deus (I Jo. 5:20). E sendo Deus, se tornou servo dos homens. É tanta humildade que só pode ser comparado a um cordeiro. No Velho Testamento, temos 94 versículos falando de cordeiros. Cinqüenta vezes referindo-se a sacrifícios, e quarenta e quatro referindo-se a ofertas. Nenhuma vez fala de cordeiros bravos. Nos evangelhos e nas epístolas só existem três passagens. EmAtos 8:32, a primeira, quando um eunuco lia o trecho de Isaías 53:7, citado acima. A segunda em João 1:29, quando João Batista falou: “Eis o cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. A terceira, quando Pedro declara que fomos resgatados com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado (I Pd. 1:18).

No livro de Apocalipse lemos vinte e oito versículos com a palavra cordeiro: Alguns trechos assustam. Na quarta carta, dirigida à Igreja de Tiatira, lemos que o Filho de Deus, como castigo à profetiza Jezabel, que ensinava como enganar os cristãos crédulos a se prostituírem com sacrifícios de idolatria, vai matar seus filhos como vingança (Ap. 2:20-23). O manso cordeiro vai se transformar em lobo devorador“Aquele que foi levado como ovelha para o matadouro, e como o cordeiro diante do que o tosquia, ele não abriu a sua boca” (At. 8:32; Is. 53:7). Jesus, que deu a vida pelos perdidos, vai virar matador e tosquiador de ovelhas? Não seria mais divino e lógico chorar pelos que se perderam, e a quem tanto amou?

No mesmo livro do Apocalipse lemos que o terceiro anjo clamou dizendo com grande voz: “Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na testa, ou na sua mão, também o tal beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do cordeiro” (Ap. 14:9-10).

Aquele cordeiro imaculado e incontaminado (I Pd. 1:18-19). Aquele cordeiro cheio de compaixão pelos pecadores condenados, cuja misericórdia é tão infinita, que Paulo define como detentor do mistério da piedade, no futuro vai se deleitar diante do tormento dos que, por cegueira, foram seduzidos pelo diabo? Não seria mais celestial e divino se o Filho de Deus, que é amor (I Jo. 4:8), chorasse por aqueles que tanto amou, mas Satanás perverteu? (At. 26:18). O cordeiro imaculado e incontaminado não vai mudar tanto.

Um terceiro problema do Apocalipse: “E ao que vencer, e guardar até o fim as minhas obras, eu lhe darei poder sobre as nações, e com vara de ferro as regerá; e serão quebradas como vasos de oleiro; como também recebi de meu Pai” (Ap. 2:26-27). O livro do Apocalipse é atribuído ao apóstolo do amor, e no original, escrito em grego, não está escrito desse modo. No original está escrito POIMAINOS, que se traduz por APASCENTARÁ. O texto de Salmos 2:8-9 foi intercalado no Apocalipse em lugar de ‘POIMAINOS’, por técnicos da perdição, no passado.

O quarto ponto está em Apocalipse 6:14-17, em relação ao fim do mundo: “E o céu retirou-se como um livro que se enrola; e todos os montes e ilhas foram removidos dos seus lugares. E os reis da terra, e os grandes, e todo o servo, e todo o livre, se esconderam nas cavernas e nas rochas das montanhas; e diziam os montes e aos rochedos: Caí sobre nós, e escondei-nos do rosto daquele que está assentado sobre o trono, E DA IRA DO CORDEIRO; porque é vindo o grande dia da sua ira; quem poderá subsistir?”. É incrível, mas o manso e humilde cordeiro vai se transformar em cordeiro iracundo e matador? Jesus tem a sua própria natureza. Ele declarou que não julga os que não crêem, porque veio, não para julgar o mundo, mas para salvá-lo (Jo. 12:47). E disse mais: “Não cuideis que eu vos hei de acusar para com o Pai. Há um que vos acusa, Moisés, em quem vós esperais” (Jo. 5:45). E disse mais, em referência ao fogo destruidor de Jeová: “Porque eu não vim para destruir as almas dos homens, mas para salvá-las” (Lc. 9:56). Cristo é o cordeiro, e os cordeiros não se iram, não fazem guerra, não matam, não são tiranos; seu reino é o reino do amor, justiça, paz e alegria no Espírito Santo (Cl. 1:12-13; Rm. 14:17). E o próprio Apocalipse revela como será a eternidade dos ressuscitados: “Estes são os que vieram de grande tribulação, e lavaram os seus vestidos e os branquearam no sangue do Cordeiro. Por isso estão diante do trono de Deus, e o servem de dia e de noite no seu templo; e aquele que está assentado sobre o trono os cobrirá com a sua sombra. Nunca mais terão fome, nunca mais terão sede; nem sol nem calma alguma cairá sobre eles. Porque o cordeiro que está no trono os apascentará, e lhes servirá de guia para as fontes das águas da vida; e Deus limpará de seus olhos toda a lágrima” (Ap. 7:14-17). E naCarta aos Hebreus lemos: JESUS CRISTO É O MESMO ONTEM, E HOJE, E ETERNAMENTE” (Hb. 13:8).O manso e amoroso Cordeiro jamais mudará.

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta