(523) – DEUS CONTRA?

DEUS   CONTRA ?

        Leiamos a palavra do profeta Jeremias da parte de Jeová, o deus de Israel: “Porque Jeová dos exércitos, que te plantou, pronunciou contra ti o mal, pela maldade da casa de Israel e da casa de Judá, que para si mesmos fizeram, pois me provocaram a ira, queimando incenso a Baal” (Jr.11:17).

Por que Jeová se voltou contra Israel, seu povo escolhido? Porque fez um concerto com esse povo; o concerto da lei, feito no monte Sinai; mas eles quebraram o concerto: “A terra está contaminada por causa dos seus moradores; porquanto transgridem as leis, mudam os estatutos, e quebram a aliança eterna” (Is.24:5).

Jeová declara também que não é o deus das nações e reinos deste mundo, senão só de Israel:“Porque és povo santo a Jeová teu deus, e Jeová te escolheu de todos os povos que há sobre a face da terra, para lhe seres o seu povo próprio” (Dt.14:2). Moisés falou esta palavra; agora o profeta Amós vai falar: “De todas as famílias da terra a vós somente conheci; portanto, todas as vossas injustiças visitarei sobre vós” (Am.3:2). Fica claro que as nações gentílicas, com as quais Jeová não fez nenhum concerto, e também não conhecem a lei de Jeová, não estão debaixo do mesmo jugo, nem podem ser julgadas e condenadas como Israel. Além disso, o apóstolo Paulo nos revela que Deus deixou, no passado, todas as gentes em seus próprios caminhos (At.14:16). Quando as nações gentílicas pecavam ou cometiam abominações, não podiam ofender a Jeová, pois seus deuses, ídolos inventados, deuses de pau e pedra, não se ofendiam; e eram inventados justamente para incentivar o povo a orgias de prostituição ou guerras. Israel aprendeu no Egito a adorar e servir a esses deuses, e Jeová só se manifestou depois de quatrocentos anos, quando o povo já estava corrompido e viciado(Ez.23:2-4). O povo, libertado do Egito, não mudou os costumes: “Sacrifícios ofereceram aos diabos, não a deus; aos deuses que não conheceram, novos deuses que vieram há pouco” (Dt.32:17).Jeová, cheio de ira infernal, pronuncia o juízo destruidor sobre aquele pobre povo (Dt.32:18-25). Jeová se tornou inimigo, e passou a ser contra Israel: “Porque pus o meu rosto contra esta cidade para mal, e não para bem, diz Jeová; na mão do rei de Babilônia se entregará, e ele a queimará a fogo” (Jr.21:10). “E eu pelejarei contra vós com mão estendida, e com braço forte, e com ira, e com indignação, e com grande furor” (Jr.21:5). Por mil anos Jeová, como inimigo, pelejou contra o seu povo até destruí-lo (II Rs.23:27; 24:2-3).

Mas de forma incrível e absurda, contrariando Atos 14:16, Jeová irá contra todas as nações, e pelos mais variados motivos:

  1. Jeová foi contra o Egito: “Eis-me contra ti, ó Faraó, rei do Egito, grande dragão, que pousas no meio dos teus rios, e que dizes: O meu rio é meu, eu o fiz para mim” (Ez.29:3; Jr.46:1-2).
  2.  Jeová foi contra os filisteus: “A palavra de Jeová que veio a Jeremias, o profeta, contra os filisteus” (Jr.47:1). “Assim diz o Senhor Jeová: Eis que eu estendo a minha mão contra os filisteus, e arrancarei os quereteus, e destruirei o resto da costa do mar, e executarei neles grande vingança, com castigos de furor; e saberão que eu sou Jeová, quando tiver exercido a minha vingança” (Ez.25:16-17).
  3.    “Contra Moabe assim diz Jeová dos exércitos, deus de Israel: Ai de Nebo, porque foi destruída” (Jr.48:1). “Assim diz o Senhor Jeová: Visto como dizem Moabe e Seir: Eis que a casa de Judá é como todas as nações; portanto, eis que eu abrirei o lado de Moabe desde as cidades fora das fronteiras, a glória da terra” (Ez.25:8-9).
  4.  Jeová é contra os amonitas, e falou pela boca de Ezequiel, dizendo: “Filho do homem, dirige o teu rosto contra os filhos de Amon, e profetiza contra eles, pois riram do meu santuário quando foi profanado; e da terra de Israel, quando foi assolada. Dize a eles que os entregarei em possessão aos do oriente; farei de Rabá uma estrebaria de camelos; e te darei por despojo às nações, e te destruirei, porque sou contra ti” (Ez.25:1-7).
  5. Edom, isto é, Esaú, pois Esaú é Edom (Gn.25:30), agiu vingativamente contra a casa de Judá; então disse Jeová: “Estenderei a minha mão contra Edom, e arrancarei dela homens e animais; e a tornarei em deserto, pois cairão à espada. E exercerei a minha vingança contra Edom” (Ez.25:13-14; Jr.49:10).
  6. 6.      Jeová foi contra os elamitas, e falou por Jeremias contra Elão, dizendo: “Trarei sobre Elão os quatro ventos dos quatro ângulos do céu, e os espalharei entre as nações” (Jr.49:36).
  7.   Jeová pela boca de Ezequiel contra Tiro: “Eis que eu estou contra ti, ó Tiro, e farei subir contra ti muitas nações, como se o mar fizesse subir as suas ondas. Elas destruirão os muros de Tiro, e derribarão as suas torres; e eu varrerei o seu pó, e dela farei uma penha descalvada” (Ez.26:3-7).
  8.  Profecia contra Sidom: “Veio a mim a palavra de Jeová, dizendo: Filho do homem, dirige o teu rosto contra Sidom, e dize: Assim diz Jeová: Eis-me contra ti, ó Sidom, e serei glorificado no meio de ti; e saberão que eu sou Jeová; quando nela executar juízos, e nela me santificar. Porque enviarei contra ela a peste, e o sangue nas suas ruas, e os traspassados cairão no meio dela, pela espada, e saberão que eu sou Jeová” (Ez.28:20-23).
  9. Jeová foi contra os assírios, o reino que dominou o mundo, e que ele, Jeová, usou (Is.7:17-20; 8:7). Quando Senaqueribe, rei da assíria, invadiu Judá, Ezequias, o rei, orou a Jeová, que assumiu a guerra contra os assírios, matando de uma só vez cento e oitenta e cinco mil deles, e ainda providenciando a morte do rei (II Rs.19:6-7; 19:35-37).
  10.    Jeová se voltou contra a Babilônia, cujo rei, Nabucodonosor, monarca cruel e soberbo, mandou erigir uma estátua de ouro da sua pessoa, para ser adorado como deus (Dn.3). Pois Jeová declarou que Nabucodonosor lhe agradava aos olhos, e era seu servo, e por isso lhe entregou todos os reinos como escravos, afirmando que, a nação ou reino que não servissem a Nabucodonosor, rei de Babilônia, e não pusessem o seu pescoço debaixo do jugo desse rei, o mesmo Jeová visitaria a tal nação ou reino com espada, com fome, e com peste, até que a consumisse. Jeová foi sócio de Nabucodonosor (Jr.27:5-8; Jr.25:9; 43:10). Pois Jeová se voltou contra o seu sócio e servo, dizendo: “Eis que eu despertarei contra eles os Medos, e os seus arcos despedaçarão os mancebos, e não se compadecerão do fruto do ventre; o seu olho não poupará os filhos. E Babilônia, o ornamento dos reinos, a glória e a soberba dos caldeus, será como Sodoma e Gomorra, quando Jeová os transtornou, e nunca mais será habitada, nem reedificada de geração em geração” (Is.13:17-20).

Jeová sempre foi contra as nações. Jeremias disse: “Os profetas que houve antes de mim e antes de ti, desde a antiguidade, profetizaram contra muitas terras, e contra grandes reinos, guerra, e mal, e peste” (Jr.28:8). Nem os etíopes escaparam (Sf.2:12).

Vamos ouvir agora a palavra do apóstolo Paulo, sobre o Deus e Pai de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo: “PORQUE A GRAÇA DE DEUS SE HÁ MANIFESTADO, TRAZENDO SALVAÇÃO A TODOS OS HOMENS” (Tt.2:11 – maiúsculo nosso). “MAS DEUS PROVA O SEU AMOR PARA CONOSCO, EM QUE CRISTO MORREU POR NÓS, SENDO NÓS AINDA PECADORES” (Rm.5:8 – maiúsculo nosso). “NISTO ESTÁ A CARIDADE, NÃO EM QUE NÓS TENHAMOS AMADO A DEUS, MAS EM QUE ELE NOS AMOU A NÓS, E ENVIOU SEU FILHO PARA PROPICIAÇÃO PELOS NOSSOS PECADOS” I (Jo.4:10 – maiúsculo nosso). Este Deus nunca foi contra nenhum reino, e nem contra os homens pecadores, pois quer salvar a todos (I Tm.2:3-4). E porque Deus, o Pai, é a favor de todos, Paulo declarou bem alto, dizendo:“QUE DIREMOS POIS A ESTAS COISAS? SE DEUS É POR NÓS, QUEM SERÁ CONTRA NÓS?” (Rm.8:31).

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta