(153) – A TRINDADE III

A TRINDADE III

 

A Trindade não aparece no Velho Testamento. Os mestres da teologia afirmam que a palavra NÓS de Gn.1:26 e 3:22 é a Trindade, mas isso é interpretação humana.

No estudo A Trindade nº 2 vimos que este mundo pertence a Satanás e é governado pelo mesmo(Lc. 4:5-8; I Jo. 5:19). Jesus afirma que este mundo é o reino de Satanás em Mt.12:22-28. O mistério que envolve Jeová e Satanás ainda não foi explicado, pois sendo o conselheiro de Jeová em Jó 1:6-12 e2:1-7 foi rejeitado por Jesus, como lemos em Lc. 4:1-13 e Jo. 14:30. Sendo Jeová o dono e o rei deste mundo, entregou tudo de mão beijada a Satanás, pois o mesmo declara isto a Jesus, quando disse:“Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória, porque a mim me foi entregue e dou-o a quem quero; portanto, se tu me adorares tudo será teu” (Lc. 4:6-7).

A Igreja cristã, tanto católica romana, como protestante, ensina, que a Trindade criou tudo e mantém o governo sobre tudo e todos. É paradoxal. A Trindade está no governo deste mundo? Como pode ser isso se Paulo afirma que toda a criação está sujeita a uma servidão corrupta que só acabará no fim deste sistema tenebroso? (Rm. 8:19-23). Onde há rebelião geral não há governo organizado, e Paulo revela que na cruz Jesus reconciliou com Deus todas as coisas, tanto as da terra como as do céu(Cl. 1:20). Quem governava a criação era o poder maligno que a sujeitou (Rm. 8:20-23). Todos os homens e mulheres, pela Bíblia, são dirigidos por esse poder tenebroso, maligno e corruptor (Ef. 2:2-3).As evidências de que a Trindade, isto é, o Pai, o Filho, e o Espírito Santo não governam este mundo são claras e conclusivas. João declara que o governo deste mundo é de Satanás (I Jo. 5:19). Paulo diz que Cristo, ao salvar o homem, liberta-o das trevas e do poder de Satanás a Deus (At. 26:18). O próprio Senhor Jesus também tocou no assunto dizendo: “Vós sois de baixo, eu sou de cima. Vós sois deste mundo, eu não sou deste mundo” (Jo. 8:23).  Se Jesus nada tinha a ver com este mundo, não o governava, e assim a Trindade não governava também, pois Jesus disse. “Tudo o que o Pai tem é meu” (Jo. 16:15). E Paulo, mais uma vez, nos informa o seguinte. Que Cristo vai assumir o poder e nesse período vai haver uma guerra, na qual os inimigos que governam serão sujeitados, e só então entregará o governo a Deus o Pai (I Co. 15:23-25). Sendo assim, Deus não está no governo deste mundo, e a Trindade não governa. Jesus só recebeu todo o poder após a ressurreição para realizar a grande obra da redenção dos céus e da terra (Mt. 28:18).

A Trindade só pode estar no governo da criação, e deste mundo, sob três aspectos diferentes.

1- Sobre toda a criação a Trindade não governa porque desde o princípio houve trevas, e caos, confusão e desordem, como lemos em Gn.1:2. Como vimos, Paulo deixou claro que há um poder maligno sobre toda a criação. E esse poder é tão grande, que Paulo afirma que os salvos gemem carregados de dores, tentações, provocações, perseguições e martírios (Rm. 8:19-23). Esse arqui inimigo do bem, da justiça, do amor, e da Trindade, é chamado na Bíblia de diabo ou Satanás, mas ninguém sabe quem é. Esse poder é tão perverso que o grande apóstolo dos gentios afirma que por muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus, isto é, custa caro sair do poderoso governo de Satã. Esse poder do engano é tão disfarçado, que os crentes preferem o caminho largo ao estreito, pensando que estão certos (Mt. 7:13-14; At. 14:22). Esse jugo é tão tenebroso, que a maioria quer entrar pela porta estreita, luta, insiste, mas não consegue. Jesus disse: “Porfiai por entrar pela porta estreita, porque eu vos digo que muitos procurarão entrar e não poderão” (Lc. 13:23-24).

2- A Trindade não está no governo da criação porque o mal aumenta e nunca diminui. O consolo dos cristãos é que a Trindade governa o povo de Deus, isto é, a Igreja. Analisemos essa grande esperança dos crentes. Paulo declarou que o povo de Deus está gemendo com a criação contaminada, isto é, ainda não está sob total governo do Pai, do Filho, e do Espírito Santo (Rm. 8:22-23). A esperança da Igreja está em Mt. 28:18-19, que diz: “É-me dado todo o poder no céu e na terra, portanto ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo.” Essa profecia de Jesus não se cumpriu, pois hoje, vivem sobre a terra mais se seis bilhões de pessoas, e somente um bilhão é de cristãos, sendo novecentos milhões de católicos e cem milhões de evangélicos. Jesus é a cabeça da Igreja (Cl. 1:18). Mas a Igreja está esmigalhada. Existem milhares de seitas diferentes e doutrinas diferentes. Não há unidade de doutrina. Este mundo pertence a Satanás (I Jo. 5:19). O mesmo João afirma que tudo o que há neste mundo não pertence a Deus, e quem busca essas coisas não pertence a Deus (I Jo. 2:15-17). Quais são as coisas deste mundo, que são a base dos que aqui vivem, mas não são do Pai?  Concupiscência da carne, isto é, desejos carnais, lacívia, luxúria, bens, fama, respeito, servos e servas, etc. Soberba da vida é julgar-se apto para conseguir e desfrutar dessas coisas. Pois bem, todas essas coisas estão hoje dentro da Igreja. É por isso que Satanás está sentado num trono dentro da Igreja.“Eu sei as tuas obras, e onde habitas, que é onde está o trono de Satanás” (Ap. 2:13). Paulo afirma que a Igreja de Corinto era carnal, e por isso cheia de contendas, inveja e dissensões (I Co. 3:1-3).

Se a Trindade estivesse no governo da Igreja, esta não se tornaria carnal e mundana.

3- Só resta uma última opção. A Trindade só vai governar o mundo futuro. “Não foi aos anjos que Deus sujeitou o mundo futuro do qual falamos” (Hb. 2:4-5). Jesus ensinou dizendo: “Os que forem havidos por dignos de alcançar o mundo vindouro, e a ressurreição dos mortos” (Lc. 20:35).

O que podemos concluir, é que a Trindade tem governo sobre os santos, que voluntariamente se submetem a Jesus de forma total e absoluta. Vivem na esfera da graça do Filho, do amor do Pai, e da comunhão do Espírito Santo (II Co. 13:13). Não são mais deste mundo como Jesus não é (Jo. 17:14).Crucificaram a carne com suas paixões e concupiscências (Gl. 5:24-25). Os que são governados pela Trindade são os que chegaram a unidade da fé, isto é, não andam fazendo guerra a irmãos de outras igrejas. Atingiram a estatura de varão perfeito, “a medida da estatura completa de Cristo, ao pleno conhecimento do Filho de Deus” (Ef. 4:13).

São estes que entram no mundo futuro, e que não vão levar para lá a soberba da salvação, nem a tirania do orgulho, nem a vaidade da teologia, pois o reino de Deus é justiça, paz, e alegria no Espírito Santo (Rm. 14:17).

O reino de Deus é o reino do amor. “Dando graças ao Pai que nos fez idôneos para participar da herança dos santos na luz. O qual nos tirou da potestade das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu amor” (Cl. 1:12-13). 

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta