(466) – DESCOBRINDO A NUDEZ

DESCOBRINDO  A  NUDEZ

Na linguagem bíblica, descobrir a nudez é praticar sexo. Jeová, na sua lei, fez uma serie de restrições quanto ao sexo.

  • Ele diz: “Nenhum homem se chegará a qualquer parenta da sua carne, para descobrir a sua nudez. Eu sou Jeová. Não descobrirás a nudez do teu pai, e de tua mãe; ela é tua mãe, não descobrirás a sua nudez” (Lv. 18:6-7). Diz a Bíblia que Ló era homem justo. “Jeová condenou à subversão as cidades de Sodoma e Gomorra, reduzindo-as a cinza, e pondo-as como exemplo aos que vivessem impiamente. E livrou ao justo Ló, enfadado da vida dissoluta dos homens abomináveis (porque este justo, habitando entre eles, afligia todos os dias a sua alma justa pelo que via e ouvia sobre as suas obras injustas); assim, sabe Jeová livrar as almas piedosas da tentação, e reservar os injustos para o dia do juízo” (II Pd. 2:6-9). Até aqui tudo bem; só que Jeová não livrou o justo Jó do incesto com suas duas filhas (Gn.19:31-38). Jeová coou uma mosca e engoliu um camelo, e pecou contra o seu próprio mandamento (Lv.18:7). E não se cumpriu na vida de Ló o texto profético, que diz: “O anjo de Jeová acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra” (Sl. 34:7).
  • A segunda proibição de Jeová, na lei, é: “Não descobrirás a nudez da mulher de teu pai” (Lv. 18:8).Jacó teve duas mulheres: Léia e Raquel. Léia deu a Jacó quatro filhos. Raquel, porém era estéril, e tendo inveja da irmã, disse a Jacó: Eis ai minha serva Bila; Entra a ela; porventura terei filhos dela. E Bila concebeu e deu à luz a Dã; e concebeu de novo e deu à luz Naftali. Pois Ruben, o primogênito de Jacó e filho de Léia, seduziu Bila e se deitou com ela (Gn. 30:3-8; 35:22). Esse ato incestuoso nos fala o seguinte:

1) O anjo de Jeová não guardou Jacó, e não livrou Bila do incesto.

2) Jeová havia prometido a Jacó guarda-lo, dizendo: “Eis que estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei tornar a esta terra; porque te não deixarei, até que haja feito tudo quanto te tenho dito” (Gn. 28:15). Mais uma vez Jeová pisou na bola quebrando um mandamento da sua lei; e no ponto em que ele é mais exigente: prostituição, e diz: “Maldito aquele que se deitar com a mulher de seu pai” (Dt. 27:20; Gn. 35:22).

  • A terceira proibição de Jeová é: “Não descobrirás a nudez de tua irmã, filha de teu pai, ou filha de tua mãe” (Lv. 18:9). Pois Abraão casou com a irmã; ele mesmo declara isso a Abimeleque, rei de Gerar:“Na verdade, ela é também minha irmã, filha do meu pai, mas não filha da minha mãe; e veio a ser minha mulher” (Gn. 20:12). Terá, pai de Abrão, não foi guardado por Jeová .

Os adoradores de Jeová vão dizer: Naquele tempo não havia lei. Temos um caso escandaloso na casa de Davi. Amnom, primogênito de Davi, cobiçou a irmã, de nome Tamar. Fingiu-se doente, e pediu ao pai que enviasse Tamar para lhe preparar bolos (II Sm. 13:6). O rei consentiu; ela veio, alheia às intenções perversas do irmão corrupto, que a violentou, e ainda depois a expulsou de casa (II Sm. 13:11-15).

O que agrava este ato incestuoso, é que Jeová, para castigar Davi pelo adultério com Bate-Seba, disse-lhe: “Porque tu o fizeste em oculto, mas eu farei este negócio perante todo o Israel e perante o sol. Eis que suscitarei da tua mesma casa o mal sobre ti” (II Sm. 12:11-12). Desta vez Jeová exorbitou, pois quebrou a sua própria lei, mentiu dizendo que perdoou a Davi (II Sm. 12:13), não guardou a filha de Davi, jovem pura e inocente; desonrou a Davi, o homem que tinha o coração igual ao seu, e não honrou o juramento que fez a Davi (Sl. 89:34-37).

  • A quarta restrição ao sexo desordenado, diz: “A nudez da mulher do teu irmão não descobrirás, ela é a mulher do teu irmão” (Lv. 18:16). E diz mais Jeová: “Quando um homem tomar a mulher de seu irmão, imundícia é; a nudez do seu irmão descobriu; sem filhos ficarão” (Lv. 20:21). É incrível, mas o próprio Jeová, que proíbe essa união, deu outra lei, pela qual, morrendo um varão sem deixar filhos, o irmão entra à cunhada, e o filho que nascer será do irmão morto (Dt. 25:5-6). Os adoradores de Jeová vão dizer: Jeová só permitia isso em caso do falecimento do marido, logo não há problema. Esquecem os adoradores de Jeová, que o irmão vivo poderia ser casado. E no Novo Testamento era proibido a uma viúva casar novamente. Paulo diz: “Não admitas as viúvas mais novas, porque, quando se tornam levianas contra Cristo, querem casar-se; tendo já a sua condenação certa por haverem aniquilado a primeira fé” (I Tm. 5:11-12). O adorador de Jeová vai dizer: Mas Paulo também diz que, quando morre o marido, a viúva pode casar com quem quiser, contanto que seja no Senhor (I Co. 7:39). Que é casamento no Senhor? É o casamento de dois vivos, isto é, dois cristãos. Quando o casamento é misto (isto é, um é cristão e o outro de outra religião), morrendo o que era morto, desfaz-se o laço. A Bíblia é clara nesse ponto. Quando alguém se converte a Cristo passou da morte para a vida (Jo. 5:24). Os outros permanecem mortos (Rm. 5:12).
  • A quinta ordenança, diz assim: “A nudez da tua nora não descobrirás; ela é mulher de teu filho” (Lv. 18:15). Er, filho de Judá, era mau, pelo que Jeová o matou. Onã, irmão de Er, casando-se com Tamar, mulher do defunto, não quis suscitar semente ao irmão morto. Isto aos olhos de Jeová era mau, pelo que também o matou. Tamar, sabendo que seu sogro ia tosquiar as ovelhas, tirou o vestido de viúva, disfarçou-se, e sentou-se no caminho como prostituta. Judá, passando, viu-a, e deitou-se com ela, pensando que era uma prostituta (Gn. 38:13-19). Judá era um imundo, pois andava pegando prostitutas. Mais uma lei de Jeová quebrada com sua permissão.
  • Sexta ordenança: “Não tomarás uma mulher com sua irmã, para afligi-la, descobrindo a sua nudez” (Lv. 18:18). E esta agora; Jacó casou com duas irmãs, Léia e Raquel; e uma afligia a outra.

Qual a conclusão que chegamos? Para o deus Jeová, vale tudo. Proíbe matar, e manda matar (Ex. 20:13; Dt. 13:6-9). Proíbe cobiçar, e manda cobiçar (Ex. 20:17; Dt. 21:10-14). Manda não furtar (Ex. 20:15), e ordenava Israel saquear as cidades invadidas (Dt. 2:30-35).

Esse deus é Jeová, o deus que é justo e reto (Dt. 32:4).

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta