(107) – O BERÇO DO CRISTIANISMO – III – O CÂNON

O BERÇO DO CRISTIANISMO Nº-3 – O CÂNON

 

A palavra Cânon é uma forma latina da palavra Kanon, que no grego significa cana, uma vara usada para medir. Para os cristãos passou a significar regra ou medida. O Cânon das escrituras são o conjunto de livros que são considerados inspirados por Deus e sagrados. O Cânon do Novo Testamento só foi formado a partir do ano 300 d.C., e foi baseado nas citações dos mais ilustres conhecedores das Escrituras, varões de renome no meio cristão da época inicial. Citaremos os nomes destes varões e alicerces da Igreja nascente.

1.     Clemente de Alexandria: reconheceu catorze epístolas paulinas (incluindo Hebreus); omitiu Tiago, II Pedro e III João.

2.     Orígenes: cita todos os livros, com exceção de Tiago e Judas.

3.     Clemente: bispo de Roma, 95 d.C., cita como canônicos – I Pedro, Mateus, Lucas, Romanos, I e II Coríntios, Hebreus e I Timóteo.

4.     Policarpo: bispo de Smirna e discípulo de João citou muitos livros do Novo Testamento.

5.     Taciano: No ano 160 d.C., escreveu uma harmonia entre os 4 Evangelhos.

6.     Justino: o mártir escreveu as apologias (defesa) do Evangelho, e citou Atos dos Apóstolos, Efésios, Colossenses e Apocalipse de João.

7.     Irineu:  130 a 200 d.C. cita a maioria dos livros do Novo Testamento.

* No ano 210 d.C. surgiu a versão siríaca do Novo Testamento, que era quase completa.

8. Hipólito: que viveu no ano 170 d.C. citou os 27 livros do Novo Testamento como autênticos. Tinha dúvidas quanto ao livro de Hebreus.

9. Eusébio Panfílio:  315 d.C. citou todos os livros do Novo Testamento, mas afirma que há contestação da parte de alguns a respeito de Tiago, Judas, II Pedro, II e III João, e Apocalipse.

10.Cirilo de Jerusalém: 340 d.C. citou todos os livros menos o Apocalipse.

11.Concílio de Laodicéia: 364 d.C. citou todos os livros do Novo Testamento, menos o Apocalipse.

12.Gregório Nazianseno: 375 d.C. citou todos menos o Apocalipse.

13.Anfilóquio de Icônio: 380 d.C. citou todos, mas afirmou que a maioria exclui o Apocalipse.

14.Filástrio de Bréscia: 380 d.C. citou todos os livros do Novo Testamento. Mencionou 13 epístolas de Paulo e a epístola aos Hebreus. Afirma que muitos negavam a canonicidade do Apocalipse.

15.Marcion: 120 d.C. citou Lucas, Romanos, I e II Coríntios, Efésios, Gálatas, Colossenses e Filemon. Marcion foi considerado herege por não crer que Jeová é o pai de Jesus Cristo. Enquanto o Pai é cheio de amor, Jeová é cheio de ódio (Sl. 7:11;  I Jo. 4:7-8).

Três coisas chamam a nossa atenção na vida de Marcion. A primeira é que, sendo respeitado pelos profundos conhecimentos que tinha da Escritura sagrada, suas citações foram usadas para formar o Cânon do Novo Testamento. A segunda é sobre os seus juízes e algozes, os que mais perseguiram Marcion, revelando no seu comportamento total ausência de misericórdia, recomendada no Novo Testamento. “Porque o Juízo será sem misericórdia sobre aquele que não fez misericórdia” (Tg. 2:13). E Jesus disse: “Não julgueis para que não sejais julgado, porque com o Juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que medirdes sereis medidos” (Mt. 7:1-2).

Há certos problemas que são de Deus e não do homem, por isso Gamaliel exortou os saduceus e os príncipes dos sacerdotes quando intentaram matar os apóstolos: “Varões israelitas, acautelai-vos a respeito do que haveis de fazer a estes homens, porque antes destes dias levantou-se Teudas, dizendo ser alguém: a este se ajuntou o número de uns quatrocentos homens; o qual foi morto, e todos os que lhe deram ouvidos foram dispersos e reduzidos a nada. Depois deste levantou-se Judas, o Galileu, nos dias do alistamento, e levou muito povo após si; mas também este pereceu, e todos os que lhe deram ouvidos foram dispersos. E agora digo-vos: Dai de mão a estes homens, e deixai-os, porque, se este conselho ou esta obra é de homens, se desfará, mas, se é de Deus, não podereis desfazê-la; para que não aconteça serdes também achados combatendo contra Deus” (At. 5:35-39).

A terceira é que no ano 144 depois de Cristo, a Igreja já tinha adotado idéias que foram combatidas por Lutero na reforma produzida pelas 95 teses afixadas na porta da Igreja de Wittenberg, em 31 de outubro de 1517. E que idéias foram estas? Os que condenaram Marcion criam que Maria havia ressuscitado, assentando-se ao lado do Pai, para interceder pelos pecadores. Criam também que Maria salva. Estabeleceram o culto aos mortos, o culto aos anjos, e que Maria era a mãe de Deus. Como pode alguém reparar no argueiro que está no olho do irmão, sem perceber as enormes traves do próprio olho? (Mat. 7:3-4)

Além de Marcion, houve um outro cristão, considerado herege, porém seu nome é citado na formação do Cânon do Novo Testamento. Seu nome é Basilides, que pregou entre os anos 120 e 145 d.C. Basilides foi professor em Alexandria e escreveu alguns livros. Para ele o mundo criado em caos (Gn. 1:1-2) é obra do demiurgo, que procura imitar a Deus. Não mencionamos detalhes de sua doutrina, que pode ser achada pela internet (http:www.iponet.es/casinada)

 

Autoria Pastor Olavo S. Pereira

 

 

Bibliografia: Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira

Cristologia Gnóstica – B.A.C.

Deixe uma resposta