(755) – A UNIDADE

A unidade foi estabelecida por Cristo: “E por eles me santifico a mim mesmo, para que também eles sejam santificados na verdade. Eu não rogo somente por estes, mas também, por aqueles que, pela sua palavra, hão de crer em mim; para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu, em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste. E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um. Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim, e que tens amado a eles como me tens amado a mim” (Jo.17:19-23).

A unidade é condição indispensável para o sucesso da igreja. Onde não há unidade, é como um exército sem cabeça, que luta desordenadamente.

  • Quem não busca a unidade discrimina os outros.
  • Quem não busca a unidade revela soberba.
  • Quem não busca a unidade está fora do corpo de Cristo.
  • Quem não busca a unidade se opõe ao Espírito Santo: “Procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz” (Ef.4:3).
  • Quem não busca a unidade tem outro espírito. É por isso que há muitos espíritos: “Amados, não creiais a todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus; porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo. Nisto conhecereis o Espírito de Deus: Todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo” (1 Jo.4:1-4). Vamos explicar: “Que é o homem mortal para que te lembres dele? E o filho do homem, para que o visites? Contudo, pouco menor o fizeste do que os anjos” (Sl.8:4-5). Jesus, ao se fazer carne, se fez menor do que os anjos, e o homem, que é menor do que os anjos, está sujeito a todas as fraquezas e a todos os pecados: “Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado” (Hb.4:15). Quando o verbo se fez carne, ele baixou ao máximo ao que Cristo podia baixar, para poder salvar aos que estavam mais baixo, no pecado. Quando Cristo se fez carne, Ele se despojou da sua divindade. Por isso Paulo fala: “Ou: Quem descerá ao abismo? (isto é, a tornar a trazer dentre os mortos a Cristo)?” (Rm.10:7).
  • O que é o abismo? “E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, e, acima das estrelas de Deus, exaltarei o meu trono, e, no monte da congregação me assentarei, da banda dos lados do norte. Subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo. E, contudo, levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo” (Is.14:13-15). O abismo é o inferno.
  • Quem não busca a unidade, divide do corpo de Cristo: “E Ele é a cabeça do corpo da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência, porque foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse” (Cl.1:18-19).
  • Quem não busca a unidade escandaliza o mundo. E assim, muitos deixam de crer em Cristo: “Ai do mundo, por causa dos escândalos. Porque é mister que venham escândalos, mas ai daquele homem por quem o escândalo vem!” (Mt.18:7).

“Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus” (Mt.5:16).

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta