(432) – COISAS DO DIABO – I

 COISAS  DO  DIABO  1

  1. A OPRESSÃO: Segundo o Novo Testamento quem oprime é Satanás ou diabo. O apóstolo Paulo disse: “Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo o bem, e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele” (At. 10:38). Moisés, entretanto, diz: “Jeová te ferirá com úlceras do Egito, com hemorróidas, e com sarna, e com coceira, de que não possas curar-te; Jeová te ferirá com loucura, e com cegueira, e com pasmo do coração, e apalparás ao meio dia, como o cego apalpa na escuridade, e não prosperarás nos teus caminhos; porém SOMENTE SERÁS OPRIMIDO E ROUBADO TODOS OS DIAS, E NÃO HAVERÁ QUEM TE SALVE” (Dt. 28:27-29). Eu, toda minha vida, pensei que quem oprimia os homens era sempre Satanás, e Moisés revela que o deus Jeová oprime também. O profeta Amós declara da parte de Jeová: “PORQUE, EIS QUE EU LEVANTAREI SOBRE VÓS, Ó CASA DE ISRAEL, UM POVO, DIZ JEOVÁ DEUS DOS EXÉRCITOS, E OPRIMIR-VOS-Á, DESDE A ENTRADA DE HAMATE ATÉ AO RIBEIRO DA PLANÍCIE” (Am. 6:14). Jó ora a Jeová, dizendo: “DIREI A DEUS: NÃO ME CONDENES; FAZE-ME SABER POR QUE CONTENDES COMIGO. PARECE-TE BEM QUE ME OPRIMAS, QUE REJEITES O TRABALHO DAS TUAS MÃOS E RESPLANDEÇAS SOBRE O CONSELHO DOS IMPIOS?” (Jó 10:2-3). Quando é o diabo, ou o demônio quem oprime, o homem clama a Deus em oração para ser liberto; mas quando é Deus que oprime, a quem clamará o oprimido? Ainda bem que Jeová não é nem Jesus e nem o Pai.
  2. AS TREVAS: Sempre pensei que as trevas fossem ligadas aos demônios e à Satanás, pois Paulo diz: “Dando graças ao Pai, que nos fez idôneos para participar da herança dos santos na luz. O qual nos tirou da potestade das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu amor” (Cl. 1:12-13). E Paulo conta que Jesus o libertou do seu povo, e o enviou para evangelizar os gentios, dizendo: “Para lhes abrires os olhos, e das trevas os converteres à luz, e do poder de Satanás a Deus; a fim de que recebam a remissão dos pecados, e sorte entre os santificados pela fé em mim” (At. 26:18). Lendo porém o Velho Testamento fiquei arrepiado. Jeová deu a lei do meio das trevas (Dt. 4:11-12). E Moisés repete essas palavras: “Estas palavras falou Jeová a toda a vossa congregação no monte, do meio do fogo, da nuvem e da escuridade, com grande voz, e nada acrescentou; e as escreveu em duas tábuas de pedra, e a mim mas deu. E sucedeu que, ouvindo a voz do meio das trevas e vendo o monte ardendo em fogo…” (Dt. 5:22-23). E quando Jeová acabou de dar a lei, Moisés chegou às trevas que Jeová estava (Ex. 20:21). O pobre Jó, em angústia clama, dizendo: “Sabei agora que Deus é que me transtornou, e com sua rede me cercou. Eis que clamo: Violência! mas não sou ouvido; grito: Socorro! mas não há justiça. O meu caminho ele entrincheirou, e não posso passar; e nas minhas veredas pôs trevas” (Jó 19:6-8).Jeová faz o mal e depois se oculta nas trevas (Sl. 18:11). O povo de Israel, povo eleito por Jeová para sua glória (Is. 43:7), vivia em trevas (Is. 59:9-10). Satanás é apenas o administrador das trevas de Jeová.
  3.   Paulo diz: “Não tentemos a Cristo, como alguns deles também tentaram, e pereceram pelas serpentes. E não murmureis, como também alguns deles murmuraram, e pereceram pelo destruidor” (I Co. 10:9-10). Os que tentaram pereceram pelas serpentes, e os que murmuraram, pereceram pelo destruidor. Somos então forçados a entender que o destruidor é o diabo, pois Jesus diz: “O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenhais vida, e a tenham com abundância” (Jo. 10:10). Qual não foi a minha surpresa ao ler no Velho Testamento as maldições de Jeová (Dt. 28:15), onde está escrito: “JEOVÁ TE FERIRÁ COM A TISICA E COM A FEBRE, E COM A QUENTURA, E COM O ARDOR, E COM A SECURA, E COM A DESTRUIÇÃO DE SEMENTEIRAS” (Dt. 28:22). “Assim servirás aos teus inimigos, que Jeová enviará contra ti, com fome, e com sede, e com a nudez, e com falta de tudo; e sobre o teu pescoço porá um jugo de ferro, até que te tenha destruído” (Dt. 28:48). “E Jeová fará tornar sobre ti todos os males do Egito, de que tu tiveste temor, e se apegarão a ti. Também Jeová fará vir sobre ti toda a enfermidade e toda a praga, que não está escrita no livro desta lei, até que sejas destruído” (Dt. 28:60-61). “E será que, assim como Jeová se deleitava em vós, e fazer-vos bem e multiplicar-vos, assim Jeová se deleitará em destruir-vos e consumir-vos” (Dt. 28:63).

E eu que pensava que o destruidor era o diabo. Foi Jeová que destruiu toda a humanidade no dilúvio(Gn. 6:7). Foi Jeová que endureceu Faraó, para não se converter com as dez pragas (Ex. 4:20-21; 7:3; 10:1, 20, 27; 11:10; 14:4, 8, 17). Jeová endureceu tantas vezes o coração de Faraó para depois matar os primogênitos, como se Faraó fosse o culpado. Foi o teatro do ódio criminoso. Jeová armou o palco para destruir os primogênitos do Egito (Ex. 12:23).

Temos nas Escrituras um caso fantástico. Acazias, filho de Acabe, começou a reinar em Israel, e caiu pelas grades de um quarto alto. Imediatamente enviou mensageiros perguntar a Baal-Zebube, deus de Ecrom, se sararia ou não. Jeová, ofendido, enviou o profeta Elias dizer-lhe que não sararia, mas que certamente morreria por ter consultado outro deus. Acazias enviou um capitão de cinqüenta soldados buscar o profeta, dizendo: Homem de Deus, o rei te diz: Desce. Ao que Elias respondeu: “Se eu sou homem de Deus, desça fogo do céu, e te consuma a ti e aos cinqüenta. Então desceu fogo do céu, e consumiu a ele e aos seus cinqüenta.” O rei enviou outro pelotão e outro capitão, que falou como o primeiro. Elias reagiu da mesma maneira; então desceu fogo do céu e consumiu o capitão e seus cinqüenta homens (I Rs. 1:1-12). Novecentos anos mais tarde, Jesus subia para Jerusalém, e mandou seus discípulos a uma aldeia de samaritanos, para lhe prepararem pousada. Mas os samaritanos não o receberam na aldeia pelo seu aspecto pobre e desprezível. Tiago e João, indignados, disseram: “Senhor, queres que digamos que desça fogo do céu, e os consuma, como Elias também fez? Voltando-se porém, repreendeu-os, e disse: Vós não sabeis de que espírito sois? Porque o Filho do homem não veio para destruir as almas dos homens, mas para salvá-las” (Lc. 9:51-56).

Este texto prova que o espírito de Jeová não é o espírito de Cristo, e prova também, que Jeová é o destruidor das almas dos homens. E foi Jesus quem declarou essa verdade.

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta