(777) – SENSUALIDADE

Definição: Tendência a abandonar-se aos prazeres sensíveis.

- Sensualismo: Atitude que consiste em atribuir importância excessiva aos prazeres dos sentidos, volúpia, lubricidade, lúbrico.

- Sensismo: Doutrina que reduz todo conhecimento à sensação, e toda a realidade no objeto da sensação (Epícuro). Epícuro chamava de sensualista. “Comamos e bebamos porque amanhã morreremos” (Is.22:13).

- Sensual: lúbrico, voluptuoso, lascivo. Pessoa sensual ou libertina.

O que a sensualidade fez de Sansão: “E desceu Sansão a Timna; e, vendo em Timna uma mulher das filhas dos filisteus. Subiu e declarou-o a seu pai e a sua mãe, e disse: Vi uma mulher em Timna, das filhas dos filisteus; agora, pois, tomai-ma por mulher. Porém seu pai e sua mãe lhe disseram: Não há, porventura, mulher entre as filhas de teus irmãos, nem entre todo o meu povo, para que tu vás tomar mulher dos filisteus, daqueles incircuncisos? E disse Sansão a seu pai: Tomai-me esta, porque ela agrada aos meus olhos” (Jz.14:1-3). “Mas seu pai e sua mãe não sabiam que isto vinha de Iahweh; pois buscava ocasião contra os filisteus; porquanto, naquele tempo, os filisteus dominavam sobre Israel” (Jz.14:4). E Sansão foi até Timna e um leão rugindo veio sobre ele. Então o Espírito de Iahweh se apoderou de Sansão e ele fendeu o leão de alto a baixo sem nada nas mãos. Mais tarde, Sansão foi ver o corpo do leão que havia matado e viu nele um enxame de abelhas com mel. Sansão casou-se com a mulher e fez um banquete e lhes deu um enigma para adivinhar: “Do comedor saiu comida; e doçura saiu do forte” (Jz.14:14). E eles não conseguiram adivinhar e foram à mulher de Sansão e ela tirou o segredo do marido e lhes revelou. E eles foram a Sansão e declararam: “Que coisa há mais doce do que o mel? E que coisa há mais forte do que um leão? E Sansão lhe disse: Se vós não lavrásseis com a minha novilha, nunca teríeis descoberto o meu enigma” (Jz.14:18). E Sansão abandonou a mulher e se uniu a uma prostituta porque ele era sensual e o sensual não contém domínio próprio (Jz.16:1). “E depois disto, aconteceu que se afeiçoou a uma mulher do vale de Soreque, cujo nome era Dalila” (Jz.16:4). Quando um crente é sensual, Iahweh usa a sensualidade dele. Daí, Dalila entregou Sansão aos filisteus e estes lhe arrancaram os olhos (Jz.16:21). E ele puxava a mó do moinho como um animal. Iahweh usava a sensualidade de Sansão para destruir os filisteus: “E seu pai e sua mãe não sabiam que isto vinha de Iahweh” (Jz.14:4).

A sensualidade mata. Sansão morreu por causa da sensualidade. Iahweh não curou a sensualidade de Sansão, mas usou-a, sabendo que Sansão ia morrer, ele o expôs às prostitutas. E na prisão, o cabelo de Sansão cresceu, e com o cabelo voltou a sua força. Ele pediu para o levarem entre as colunas do templo de Dagon e ele apoiou as mãos nas colunas e bradou: “Morra eu com os filisteus” (Jz.16:30). E o templo caiu. Sansão não foi liberto da sensualidade.

Davi também era sensual e vendo uma mulher banhando-se, mandou buscá-la e deitou-se com ela. Seu nome era Bate-Seba e ela foi mãe de Salomão. E Salomão destruiu o Reino de Israel (1 Rs.11:1-13). Quando Bate-Seba ficou grávida, foi configurado o adultério do grande rei Davi. Como ele era sensual, para resolver o assunto mandou matar Urias que era o marido de Bate-Seba. “E sucedeu que, pela manhã, Davi escreveu uma carta a Joabe, e mandou-lha por mão de Urias. Escreveu na carta, dizendo: Ponde Urias na frente da maior força da peleja; e retirai-vos de detrás dele, para que seja ferido e morra. Aconteceu, pois, que tendo Joabe observado bem a cidade, pôs a Urias no lugar onde sabia que não havia homens valentes. E, saindo os homens da cidade, e pelejando com Joabe, caíram alguns do povo, dos servos de Davi; e morreu também Urias, o heteu” (2 Sm.11:14-17).

Davi era sensual. Urias não era sensual.

No Novo Testamento é diferente.

“Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça? Mas graças a Deus que, tendo sido servos do pecado, obedecestes de coração à forma de doutrina a que fostes entregues. E, libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça. Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor (Rm. 6:16-218).

Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito (Jo.8:32).

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (Jo.8:32).

Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres (Jo.8:36).

Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome; Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus (Jo. 1:12,13).

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta