(501) – ANJO DE LUZ – III

 ANJO   DE   LUZ   3

II Co.11:13-14

Jesus disse: “EU E O PAI SOMOS UM” (Jo.10:30 – maiúsculo nosso). Ser um é ser totalmente igual em tudo. Analisemos a assunto biblicamente:

  1. Jesus era mortal e Deus é imortal. Que diz a Bíblia? “Jesus, nos dias da sua carne, oferecendo, com grande clamor e lágrimas, orações e súplicas ao que o podia livrar da morte, foi ouvido quanto ao que temia” (Hb.5:7). Do Pai, lemos: “Ora ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao único Deus, seja honra e glória para todo o sempre” (I Tm.1:17). Nesta área, enquanto estava na carne, Jesus não era um com o Deus Pai.
  2. Quando orava no Getsêmani, Jesus orou assim: “Pai, se queres, passa de mim este cálice, todavia não se faça a minha vontade, mas a tua” (Lc.22:42). Em Mateus está um pouco diferente: “Pai, se é possível, passe de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres” (Mt.26:39). Uma coisa fica bem clara nas palavras de Jesus: Ele e o Pai tinham vontades diferentes; tinham planos diferentes para resolver o problema da cruz. Se tinham vontades diferentes, em relação à vontade não eram um.
  3. São Tiago fala assim: “Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta” (Tg.1:13). Na carta aos Hebreus, lemos: “Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado” (Hb.4:15). O próprio Jesus disse aos seus discípulos: “Vós sois os que tendes permanecido comigo nas minhas tentações“ (Lc.22:28). Quanto às tentações, Jesus e o Pai não eram um.
  4.      Apesar destas diferenças, é possível provar que Jesus Cristo e o Deus Pai são um. O próprio Jesus explica, dizendo: “Se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai; e já desde agora o conheceis, e o tendes visto. Disse-lhe Felipe: Mostra-nos o Pai, o que nos basta. Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Felipe? quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai? Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras. Crede-me que eu estou no Pai, e o Pai em mim; crede-me, ao menos, por causa das mesmas obras” (Jo.14:7-11). Sobre as obras Jesus disse mais: “As obras que eu faço em nome de meu Pai, essas testificam de mim” (Jo.10:25). “Tenho-vos mostrado muitas obras boas procedentes de meu Pai; por qual dessas obras me apedrejais?” (Jo.10:32). “Se não faço as obras de meu Pai, não me acrediteis. Mas se as faço, e não credes em mim, crede nas mesmas obras; para que conheçais e acrediteis que o Pai está em mim, e eu nele” (Jo.10:37-38). São as obras que provam a unidade do Pai e do Filho. O Deus Pai só faz o bem, por isso está escrito: “Toda boa dádiva e todo dom perfeito é do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação” (Tg.1:17). E o Filho só faz o bem como diz a Escritura: “Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo o bem, e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele” (At.10:38).
  5. Comparemos Jesus com Jeová: Jesus veio para trazer vida aos homens pecadores (Jo.5:24; 10:10). Jeová veio trazer morte e destruição (Gn.6:5-7; Dt.28:61-63). Jesus veio para ensinar a amar (Jo.13:34). Jeová veio impor um jugo de servidão e violência (II Cr.12:7-8; Ez.20:33). Jesus veio para libertar das maldições de Jeová (Gl.3:13). Jeová veio para lançar maldições sobre os pecadores (Dt.28:15; Pv.3:33). Jesus veio trazer paz (Jo.14:27). Jeová trouxe opressão (II Rs.17:20; Dt.28:29).

Jesus nunca fez nenhuma das obras de Jeová, mas só as do Pai.

Se alguém aceita e crê que Jeová é Deus, realmente Satanás se transfigurou em anjo de luz.

 

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta