(168) – COMO CONHECER A DEUS

COMO CONHECER A DEUS

 

A pergunta é a seguinte: Deus, o criador de todas as coisas, Deus, que é a causa de tudo o que existe, pode de alguma maneira ser conhecido fora de Jesus Cristo? Para os cristãos Deus só pode ser conhecido em Jesus Cristo. Deus não será conhecido através de Cristo, mas em Jesus Cristo. Alguns textos provam essa verdade.

         “Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito que está no seio do Pai, esse o fez conhecer” (Jo. 1:18). Este foi o testemunho de João Batista. Esse testemunho põe em cheque as aparições de Deus no Velho Testamento. Jeová apareceu para Abraão em Gn. 17:1. Apareceu para Isaque e para Jacó. (Gn. 26:2-4; 28:10-17). E o próprio Jeová afirma que apareceu para esses três varões em Ex. 6: 2-3. João Batista se enganou ou Jeová não é o Deus Pai de Jesus? O apóstolo João confirma o testemunho de João Batista com as seguintes palavras: “Ninguém jamais viu a Deus” (I Jo. 4:12).  E Jesus Cristo endossa as duas declarações dizendo: “Vós nunca ouvistes a sua voz nem vistes o seu parecer” (Jo. 5:37).E o apóstolo Paulo, com chave de ouro, fecha o assunto, declarando: “Aquele que tem, ele só, a imortalidade, e habita na luz inacessível; a quem nenhum dos homens viu nem pode ver” (I Tm. 6:16). Ou anulamos o Novo Testamento para ficar com Jeová como sendo o Pai, fazendo mentirosos, João Batista, João apóstolo, o grande apóstolo Paulo e o próprio Jesus; ou seremos ministros do Novo Testamento, deixando atrás o que envelheceu. Mas não foi Paulo que fechou o assunto, e sim o próprio Jesus, quando revelou o mistério: “Todas as coisas me foram entregues por meu Pai; e ninguém conhece  o Filho senão o Pai; e ninguém conhece o Pai senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar” (Mt. 11:27). É uma questão de lógica. Uns ficam com Jeová, que se revelou a si mesmo sem o Filho, fazendo-o mentiroso, e outros ficam com Jesus, excluindo Jeová do plano da salvação. Que Jeová se deu a conhecer está claro nos seguintes textos: “Eu me dei a conhecer a Israel na terra do Egito” (Ez. 20:5). “Fez notórios os seus caminhos a Moisés, e os seus feitos aos filhos de Israel” (Sl. 103:7). “Dentre os que me conhecem, farei menção de Raabe e de Babilônia” (Sl. 87:4). “Jeová é conhecido pelo juízo que fez” (Sl. 9:16). “Mas o que se gloriar glorie-se nisto, em me conhecer e saber que eu sou Jeová, que faço beneficência, juízo e justiça na Terra” (Jr. 9:24). “Portanto, eis que lhes farei conhecer, desta vez lhes farei conhecer a minha mão e o meu poder; e saberão que o meu nome é Jeová” (Jr. 16:21). “Conhecido é deus em Judá, grande é o seu nome em Israel” (Sl. 76:1).

         E Jesus Cristo declara: “Aquele que me enviou é verdadeiro, o qual vós não o conheceis” (Jo. 7:28). “Disseram-lhe pois: Onde está teu Pai? Jesus respondeu: Não me conheceis a mim nem a meu Pai. Se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai” (Jo. 8:19).

         Como dissemos, Jesus não é conhecido através do Pai, isto é, temos de conhecer a obra de Jesus para conhecer a obra do Pai; temos de nos beneficiar do amor de Jesus para sermos beneficiados pelo amor do Pai; temos de ouvir as palavras de Jesus, para ouvir as do Pai (Jo. 17:8). Jesus explica o mistério: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim. Se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai; e já desde agora o conheceis, e o tendes visto. Disse-lhe Filipe: Mostra-nos o Pai, o que nos basta. Disse-lhe Jesus: Estou a tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim, vê o Pai, não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim é  quem faz as obras” (Jo. 14:6-11).

Sendo assim, Deus não pode ser conhecido pela lei de Jeová, mas pela fé  em Cristo, pois pela lei o homem conhece o pecado, e não a Deus (Rm. 3:20; 3:28). Pela lei o homem conhece a morte e Deus é vida (Ez. 18:4; Jo. 17:3). O amor de Cristo nos introduz no amor do Pai pelo Espírito Santo (Jo. 15:13; Rm. 5:5;  I Jo. 4:7-8). A lei de Jeová não é perfeita, e assim não pode revelar o Pai. “Porque o precedente mandamento é abrogado por causa da sua fraqueza e inutilidade, (Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou), e desta sorte é introduzida uma melhor esperança pela qual chegamos a Deus” (Hb. 7:18-19).

         Pelas pragas Deus poderá ser conhecido? Jamais. Deus só pode ser conhecido pelo amor (I Jo. 4:7-8). Jeová ficou conhecido pelas pragas do Egito, pelas pestes mortíferas, coisa que Satanás também faz. Pois ambos concordaram em ferir Jó de lepra e desgraça (Jó 1:6-12; 2:1-7).

E pelas obras? Será Deus conhecido pela obra da criação do Universo? No Salmo 19 lemos: “Os céus manifestam a glória de deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos” (Sl. 19:1). Mas a criação material é cheia de coisas imperfeitas. Pelo que vemos aqui na Terra, dá para supor que há imperfeição fora da Terra. Por exemplo, a Terra é minada por uma infinidade de animais predadores e venenosos. As serpentes, as aranhas, sapos, escorpiões, lacraias, morcegos , e milhares de outros seres que apavoram os homens. Além disso este mundo é infestado por germes e micróbios, causadores de enfermidades mortais. Vírus e bactérias que têm assolado a humanidade. Um mundo cheio de vermes não pode levar os homens ao conhecimento de Deus. Aquilo de Rm. 1:20, se refere a Jeová, o demiurgo deste mundo, e não ao Pai de amor, de luz, de bondade e justiça.

Que é que vemos em Jesus? A perfeição de todas as coisas, e nessa perfeição está o Pai. Em Jesus poderemos chegar ao conhecimento pleno de Deus e dos porquês desta criação.

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta