(370) – JEOVÁ E O SEXO

JEOVÁ E O SEXO

         Jeová declara que o sexo dos humanos é incompatível com a sua santidade. Ele declarou dizendo: “SANTOS SEREIS, PORQUE EU, JEOVÁ VOSSO DEUS, SOU SANTO” (Lv. 19:2). Quando Jeová ordenou a Moisés que chamasse o povo de Israel para receber a lei ao pé do monte Sinai, proibiu o povo de subir ou tocar no monte, sob pena de morte (Ex. 19:12). Então Moisés desceu do monte e falou ao povo, dizendo: “Estai prontos ao terceiro dia; e não chegueis a mulher” (Ex. 19:15). Fica assim provado que a prática do sexo é incompatível com a santidade de Jeová. Não é só neste caso, no qual condena a união sexual. Quando Davi fugia da face do rei Saul, que queria matá-lo por ciúme e inveja, cansado e faminto Davi foi a Nobe, ao sacerdote Aimeleque, e pediu alguns pães. Aimeleque lhe disse: Não tenho pão comum à mão; há, porém, pão sagrado, SE AO MENOS OS RAPAZES SE ABSTIVERAM DAS MULHERES. E respondeu Davi: Sim, em boa fé as mulheres se nos vedaram desde ontem; e anteontem, quando eu saí. Então o sacerdote lhe deu o pão sagrado (pão da proposição). Se Davi e os rapazes tivessem tocado nas mulheres não poderiam tocar nos pães da proposição, sob pena de morte (I Sm. 21:1-6).Todos os adoradores de Jeová, que praticam o sexo de um a três dias antes do culto e da pregação, estão condenados à morte por Jeová, pois declarou que ele não muda (Ml. 3:6). Estão debaixo de maldição os que não observam as ordenanças de Jeová, que disse: “Será porém que, se não deres ouvidos à voz de Jeová teu deus, para não cuidares em fazer todos os seus mandamentos e os seus estatutos, que hoje te ordeno, então sobre ti virão todas as maldições, e te alcançarão” (Dt. 28:15).

Se você pensa que Jesus veio e mudou as ordens de Jeová, está enganado. Jesus declarou, dizendo: “Não cuideis que vim destruir a lei e os profetas; não vim abrogar, mas cumprir” (Mt. 5:17). E Tiago fala na sua epístola: “Mas, se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, e sois redargüidos pela lei como transgressores. Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, é réu de todos” (Tg. 2:9-10).

Jeová revela porque proíbe o sexo antes de alguém se achegar a ele. No capítulo quinze do livro deLevíticos, lemos que Jeová disse a Arão e a Moisés: “Falem aos filhos de Israel, dizendo: Todo o homem que padeça de gonorréia (blenorragia), será imundo” (v.2). A blenorragia é uma inflamação purulenta na uretra, causada pelo bacilo ‘Gonococo’ que, se não detectada em tempo e curada, invade o corpo comprometendo todo o mecanismo genital. Nas nossas Bíblias está escrito ‘fluxo’, mas no original hebraico está a palavra gonorréia. É uma praga infecciosa que se transmite pelo ato sexual. O tratamento era muito doloroso, mas hoje, três mil e seiscentos anos depois, com o advento dos antibióticos, foi quase erradicada. Em Lv. 15:1, em lugar de fluxo, leia-se gonorréia. Em Lv. 15:13também.

Temos em mãos a Bíblia editada pela BAC (Biblioteca de Autores Cristãos), situada em Madri, Espanha, edição de 1953. Nessa Bíblia, oficial da editora BAC, que editou quase todos os livros da patrística, isto é, dos pais da Igreja cristã dos primeiros quatro séculos, diz o texto do livro de Levíticos, que o homem ou a mulher, portadores de gonorréia, ficam imundos, e não podem entrar na tenda do tabernáculo. Todo móvel, cadeira, banco, cama, em que se assente o imundo, fica também imundo. Quem tocar nesses objetos contaminados, fica imundo também. Depois da lavagem da purificação, à tarde, fica limpo. Quando o que padece de gonorréia sara, fica sete dias fora do santuário para purificação. Ao oitavo dia tomará duas pombinhas ou duas rolas, e vai perante Jeová, à porta da tenda da congregação, e os dará ao sacerdote, que oferecerá uma para expiação do pecado, e outra para o holocausto. Assim o sacerdote fará expiação pela sua gonorréia perante Jeová. Tudo isto está emLevíticos 15:1-15.

O que é de espantar, é que Jeová compara a imundícia da gonorréia com a imundícia da semente da cópula dos homens. Isto quer dizer, que para Jeová, o esperma humano é imundo por natureza. Continuemos a leitura do capítulo quinze de Levíticos para comprovar esta verdade bíblica.

O problema é que Jeová condena o ato sexual, e não o pastor Olavo, conforme alguns críticos. Prossigamos:

Diz o texto sagrado: “Também o homem, quando sair dele a semente da cópula, toda a sua carne banhará com água e será imundo até à tarde. Também todo o vestido, e toda a pele em que houver semente da cópula, ambos se banharão com água e serão imundos até a tarde” (Lv. 15:16-18). Entretanto, para chegar ao tabernáculo, tem de esperar três dias (Ex. 19:12; I Sm. 21:1-6). Se não respeitar esse prazo de purificação e santificação depois do ato sexual, morre, tal é a imundícia da semente da cópula para Jeová.

A mulher, quando passa pela menstruação, fica imunda sete dias, e qualquer que a tocar fica imundo até a tarde (Lv. 15:19-20). Qualquer que toque o leito da mulher, ou um móvel em que ela se sentou, tem de se lavar com água e fica imundo até a tarde (Lv. 15:22-23). A mulher só fica livre da imundícia da ovulação, depois de passados sete dias (Lv. 15:28). Ao oitavo dia tomará duas rolas, ou dois pombinhos, e os levará ao sacerdote, que oferecerá um para expiação do pecado, e outro para holocausto; e o sacerdote fará por ela expiação do fluxo da sua imundícia perante Jeová (Lv. 15:29-30). TODO ESTE RITUAL É O MESMO QUE FOI FEITO PARA A PURIFICAÇÃO DA GONORRÉIA, QUE É DOENÇA VENÉREA INFECCIOSA IMUNDA.

Jeová mandou dizer também: “Ninguém da semente de Arão, que for leproso, ou tiver gonorréia, comerá das coisas santas, até que seja limpo; como também o que tocar alguma coisa imunda de cadáver, ou aquele que sair a semente da cópula” (Lv. 22:4). Nesta passagem Jeová compara a imundícia e a impureza da lepra com a impureza da gonorréia, e também com a imundícia do esperma que sai do homem. Os famintos de sexo das igrejas que se cuidem diante da ira vingativa de Jeová, que ditou a Moisés nocapítulo quinze do livro de Levíticos.

Agora dá para entender porque toda criança que nasce, fruto do sexo, nasce imunda, e a mãe fica imunda sete dias (Lv. 12:2). “Depois ficará trinta e três dias no sangue da sua purificação; nenhuma coisa santa tocará, nem irá ao santuário” (Lv. 12:4). “Mas se tiver fêmea, será imunda duas semanas, e ficará sessenta e seis dias no sangue da sua purificação” (Lv. 12:5). “Depois da purificação trará ao sacerdote um cordeiro de um ano por holocausto, e um pombinho ou rola para expiação do pecado” (Lv. 12:6). Desde quando um casal santo, unido por Deus, e que se amam, ao trazer ao mundo um filho ou uma filha, tem que fazer sacrifício por pecado? Só na cabeça de Jeová (Lv. 12:6-7).

E Jeová acaba o ensinamento, dizendo: “Assim separareis os filhos de Israel das suas imundícias, para que não morram nas suas imundícias, contaminando o meu tabernáculo, que está no meio deles. Esta é a lei daquele que tem gonorréia, e daquele de quem sai a semente da cópula, e que fica por ela imundo, como também a mulher enferma na sua separação, e daquele que padece gonorréia, seja varão ou fêmea, e do homem que se deita com mulher imunda” (Lv. 15:31-33).

Para Jesus o matrimônio é santo e limpo, e na carta aos Hebreus está escrito: “Venerado seja entre vós o matrimônio e o leito sem mácula” (Hb. 13:4). Isto quer dizer que o casamento nada tem de imundo como Jeová declarou. Além do mais, o matrimônio cristão é figura do casamento de Cristo com a Igreja(Ef. 5:25-32).

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta